5 dicas essenciais para um controle de pragas eficiente

Por Equipe FieldView™

Apr 10, 2022

Algumas práticas são cruciais para eliminar ou reduzir a presença de pragas ao longo da safra, como o uso do manejo integrado e da agricultura digital

 Equipamento pulveriza lavoura de soja em um final de tarde   

Equipamento pulveriza lavoura de soja em um final de tarde

 

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

As pragas são um grande inimigo da produtividade da lavoura. Por isso, ao longo da safra, o produtor deve utilizar diferentes técnicas para o controle eficiente destes invasores indesejados.

No entanto, as estratégias devem ser utilizadas de modo sustentável, aplicando o produto correto, no momento ideal e na quantidade adequada. Além disso, a aplicação deve ser correta, sem desperdício e com a máxima eficácia.

Para assegurar o melhor controle, vale a pena seguir algumas dicas que são essenciais para eliminar ou reduzir o impacto de diferentes pragas na cultura.

Boa leitura!

 

+++

As pragas que atingem a agricultura brasileira causam perdas que variam entre 9,5% e 40% nas principais culturas, ocasionando bilhões em prejuízo à economia anualmente, segundo estudo da Esalq/USP.

O grau de prejuízo depende do tipo de praga e do quanto o manejo adotado não foi eficiente no controle da infestação.

Por isso, além de conhecer todos os métodos de controle de pragas agrícolas, é fundamental entender como utilizá-los na prática e de acordo com as condições de cada lavoura. 

Para isso, listamos ações eficazes para o controle de pragas, entre estratégias de MIP (Manejo Integrado de Pragas), boas práticas de aplicação de defensivos e uso de ferramentas da agricultura digital.

Confira, a seguir, 5 dicas essenciais para um controle de pragas eficiente e tenha menos dor de cabeça no decorrer da safra.

  

+ LEIA: Controle de Pragas na lavoura e a qualidade da pulverização

 

Dicas para um controle de pragas eficiente

 Como garantir que estes pequenos invasores não irão roubar a produtividade e a rentabilidade da lavoura ao longo do ciclo da cultura? Veja abaixo 5 dicas que possibilitarão ao produtor fazer um controle eficiente de pragas.

 

1) Planejar o controle de pragas na lavoura é essencial

 É fundamental planejar a pulverização de defensivos no campo de modo correto. Para tanto, o produtor deve:

  • Escolher com critério os produtos a serem aplicados, podendo recorrer a agrônomos e assessoria especializada;
  • Adotar práticas que podem melhorar a qualidade da pulverização.

 

Dentre as práticas importantes neste momento, é importante assegurar a disponibilidade de maquinário.

Esse cuidado é um ponto crítico por conta das incertezas da atividade agrícola. Por exemplo, a decisão de aplicar ou não depende também das condições climáticas em determinado momento.

No geral, o planejamento logístico das operações começa desde o plantio. O produtor pode plantar primeiro os talhões mais próximos da sede para facilitar a calibração e verificação dos equipamentos, por exemplo.

A operação de plantio pode ser monitorada por algum software de agricultura digital, como o FieldViewTM Drive, da plataforma Climate FieldViewTM, da Bayer.

Desta forma, as datas de plantio de cada talhão e das operações subsequentes, como pulverização e colheita, serão registradas, o que vai ajudar nesse planejamento. 

 

Pulverizador aplica defensivo na lavouraPulverizador aplica defensivo na lavoura: com a agricultura digital é possível fazer o mapeamento da operação

 

 2) Aposte na dessecação antecipada

 dessecação antecipada da lavoura é uma etapa fundamental para prevenir a infestação por insetos e o desenvolvimento de plantas daninhas na próxima safra. 

Isso ocorre porque, quando a semente é plantada no "limpo" (sem a presença de plantas invasoras), ela vai germinar e crescer com menor competição por umidade, nutrientes e luz. 

Para evitar esse problema, pode ser necessário usar herbicidas com mecanismos diversos visando impedir um ambiente propício ao surgimento de tigueras (plantas que nascem de sementes da safra anterior). 

A dessecação também auxilia no controle de insetos porque, com a ausência de plantas daninhas, diferentes pragas presentes na área tendem a morrer pela falta de plantas hospedeiras. 

Para dessecar com eficiência, atenção ao planejamento. Se a dessecação for feita muito próxima do plantio, pode ser necessário monitorar a população de pragas e, até mesmo, aplicar um inseticida.

Isso tem o objetivo de evitar um ataque de pragas logo após a emergência da cultura. 

 

Percevejo-barriga-verde - Dichelops furcatusPercevejo-barriga-verde: a ocorrência de insetos como o Dichelops furcatus deve ser monitorada pelo produtor durante toda a safra

 

3) Invista no monitoramento de pragas na lavoura

O monitoramento dos insetos-pragas é necessário para que o produtor possa tomar decisões no gerenciamento da cultura com base em informações. 

Esse processo se inicia antes do estabelecimento da cultura e se estende até próximo da colheita.

Ao longo da safra, o produtor pode utilizar diferentes práticas de monitoramento por amostragem, como o pano-de-batida. Desta forma, é possível identificar a presença das invasoras e avaliar os danos provocados por elas na área.

 

pano-de-batidaPesquisadores usam a técnica do pano-de-batida para fazer amostragem da presença de insetos na lavoura de soja (foto: Embrapa)

 

 A partir destas práticas, e com o auxílio da tecnologia 4.0, é possível trabalhar com maior precisão no controle das pragas na área, uma vez que o produtor terá condições de tomar decisões com assertividade.

Um grande aliado do agricultor no monitoramento do campo é a funcionalidade Diagnóstico FieldViewTM, que utiliza imagens de satélite para acompanhar o desenvolvimento vegetativo da lavoura.

Se as imagens apresentarem baixo crescimento de uma região do talhão, pode indicar ao produtor a necessidade de enviar uma equipe até o local para verificar a causa do déficit no desenvolvimento das plantas.

Também é possível buscar dados históricos armazenados na plataforma digital para verificar se aquele ponto do campo teve a produtividade afetada por pragas, por exemplo, em safras anteriores.

 

Nova call to action

  

4) Use diferentes estratégias no Manejo Integrado de Pragas (MIP)

A utilização de diferentes estratégias de manejo de pragas, como uso de plantas geneticamente modificadas, utilização de refúgio, aplicação de defensivos, controle biológico, entre outras técnicas, é a premissa do MIP (Manejo Integrado de Pragas). 

O objetivo do MIP não é eliminar as pragas definitivamente, mas manter a densidade desses invasores abaixo do nível de dano econômico.

Quando a densidade populacional atinge níveis de controle, são aplicadas ações mais incisivas para reverter o problema. 

 

+ ASSISTA NO FIELDVIEW™ TV: Manejo de pragas do milho safrinha

 

O MIP é fundamental para a sustentabilidade da cultura.  Mas antes de adotar qualquer uma dessas técnicas, é importantes sempre saber quais as pragas que estão presentes na área, suas características e o nível de infestação.

Também é importante saber quais pragas determinada cultura é mais suscetível. Assim, fica mais fácil definir quais delas devem ser acompanhadas com maior atenção na área

As cultivares de soja munidas com a tecnologia Bt, por exemplo,  conferem proteção contra as principais lagartas desfolhadoras da cultura, trazendo maior tranquilidade e segurança para o agricultor. 

No entanto, existe uma gama de insetos não-alvos da tecnologia Bt em soja que devem ser manejados a fim de mitigar possíveis perdas de produtividade.

 

 Barra do pulverizador aplica defensivo na lavoura

Barra do pulverizador aplica defensivo na lavoura: gotas devem ser pulverizadas sobre a planta de acordo com a taxa de aplicação

 

5) Garanta a qualidade da aplicação de defensivos

 O produtor que deseja controlar a ocorrência de pragas com a pulverização de defensivos deve assegurar a qualidade das operações, observando diferentes fatores, como:

  • Tamanho de gotas;
  • Volume de calda;
  • Condições climáticas;
  • Altura da barra;
  • Manutenção e inspeção periódica do pulverizador;
  • Velocidade do pulverizador;
  • Uso de funcionalidades da agricultura digital.

 

+ CONFIRA TAMBÉM: Por que você deve usar aplicativos para monitoramento de pragas na lavoura

 

Ao pulverizar a lavoura, o produtor pode usar algumas ferramentas digitais para monitorar a qualidade da operação de pulverização da cultura, como o dispositivo FieldviewTM Drive.

Ao utilizá-lo para fazer o mapeamento da aplicação, o produtor pode acompanhar alguns parâmetros, como se a velocidade da máquina e a taxa de aplicação estão dentro do recomendado.

Se algum problema for constatado, o produtor pode parar o pulverizador para realizar o ajuste necessário.

Além disso, o mapeamento da pulverização permite gerar diferentes mapas, que podem ser analisados ou correlacionados com outros mapas, permitindo ao produtor avaliar a eficiência da aplicação realizada no talhão.

 

 + Acompanhe mais sobre este assunto nos artigos:

·Controle de pragas no café: monitoramento com tecnologias digitais

Software de gestão agrícola e os principais benefícios para a agricultura no Brasil

Proteção de cultivos: até onde a tecnologia pode nos levar?

 

 + Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Quer ficar

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?