Colheu a safra de verão? Veja o que fazer no pós-colheita

Por Equipe FieldView™ em 11/06/2022 15:23:29

A agricultura digital pode apoiar o produtor em diferentes manejos que devem ser adotados após a colheita, como conservação dos grãos e preparo do solo

 

 

               

                                                                                    colheitadeira faz o descarregamento dos grãos no transbordo

Depois de colher a soja na lavoura, colheitadeira faz o descarregamento dos grãos no caminhão transbordo


Quando a colheita de verão é concluída, o produtor tem que adotar diferentes manejos para assegurar a qualidade dos grãos ou frutos que foram colhidos e preparar a área para a próxima safra. 

Uma medida importante é o transporte e o armazenamento adequados dos produtos, reduzindo os riscos de degradação. É preciso monitorar fatores como umidade, incidência de pragas e doenças e condições climáticas, além de usar silos bem estruturados.

O solo da lavoura também requer cuidados no pós-colheita de verão, garantindo que esteja fértil, livre de pragas e doenças e tenha um bom nível de umidade na próxima safra. 

Para isso, existem algumas dicas, como manejo do banco de sementes e daninhas, aplicação criteriosa de herbicidas, plantio de cultura de cobertura e uso de tecnologias como a agricultura digital, visando otimizar as operações realizadas na entressafra, como análise de solo e adubação. 

Boa leitura!

 

▸ Veja os conteúdos relacionados:

Quando a colheita da safra chega ao fim, ainda tem muito trabalho pela frente. 

Investir no manejo pós-colheita é essencial para assegurar a qualidade dos produtos agrícolas, facilitando sua comercialização, e para conservar e proteger o solo, preparando a área para a próxima safra.

O agricultor precisa conhecer as técnicas que deve adotar na fazenda nesse período. No pós-colheita da safra de verão, por exemplo, o produtor precisa adotar diferentes práticas visando proteger o seu maior ativo, que é o solo agrícola, e se preparar para a safra que vem pela frente. 

Por isso, entender o que é pós-colheita, quais medidas devem ser adotadas e como a agricultura digital pode ajudar nesse momento é fundamental para que o agricultor proteja o resultado da safra que terminou e garanta a produtividade do próximo ciclo.

 

Colheitadeira durante a colheita de soja

Colheitadeira durante a colheita de soja

 

O que é a pós-colheita?

Pós-colheita é o termo utilizado para se referir ao conjunto de técnicas, tecnologias e estudos que são aplicados após a colheita de uma cultura e que permitem a conservação e armazenamento dos produtos agrícolas, como grãos.

Além disso, o manejo pós-colheita consiste em diferentes práticas agronômicas que permitem o preparo do solo para a próxima safra. Esse momento também é utilizado para a manutenção das máquinas agrícolas

 

Caminhão de transporte no silo de soja

Caminhão usado para o transporte de grãos até o armazenamento no silo de soja

 

+ SAIBA MAIS: Armazenagem de grãos: quais os cuidados na operacionalização da colheita?

Quais fatores interferem na conservação dos grãos no pós-colheita?

Os fatores que interferem nessa conservação estão relacionados à fisiologia pós-colheita. Para entender como esse sistema funciona, é importante lembrar o que acontece quando a colheita é concluída.

Enquanto estão ligados à planta, grãos e frutos, por exemplo, continuam recebendo os recursos necessários para a manutenção do seu metabolismo e desenvolvimento normal.

Mas depois de colhidos, precisam consumir sua própria reserva de energia para continuarem se mantendo viáveis. Esse processo promove várias alterações que prejudicam a qualidade do produto, em aspectos como sabor, valor nutritivo e aroma.

Essa degradação é influenciada por fatores ambientais, que retardam ou aceleram esse processo, como estresse físico, temperatura, condições meteorológicas e ataque de pragas e doenças, entre outros.

 

colheitadeira descarrega milho no transbordo

Colheitadeira descarrega no transbordo os grãos de milho que foram colhidos durante a operação de colheita

 

Como evitar perdas no pós-colheita?

Os principais fatores que provocam perdas na pós-colheita são má higienização dos silos, contaminação por patógenos e o manejo incorreto dos produtos. Além disso, uma logística de transporte e distribuição ineficiente também é responsável por causar perdas nessa fase.

Para evitar esses problemas e reduzir as perdas, o produtor pode tomar algumas medidas, como:

      • Aplicação de técnicas de manuseio antes e depois da colheita;
      • Investimento no monitoramento e controle de doenças e pragas;
      • Investimento em tecnologias que facilitem o transporte, o processamento e, se for necessário, nas embalagens dos produtos agrícolas.

 

+ LEIA MAIS: Como identificar a fertilidade do solo?

 

Saiba como cuidar do solo no pós-colheita

Após a colheita da lavoura, o produtor também precisa usar práticas de manejo do solo, garantindo sua preservação e preparo para o próximo ciclo.

Para isso, é importante que o agricultor fique atento aos pontos e dicas a seguir:

 

Após a colheita, sementes de espécies de plantas invasoras permanecem em dormência no talhão. Forma-se um banco de sementes, que só precisam de água e nutrientes para germinar.

Se essa germinação ocorre quando não há cultivo, as daninhas se desenvolvem facilmente. Para evitar, pode-se fazer a distribuição de restos culturais, evitar o pousio e monitorar a área. Assim, há como retirar as daninhas que nascerem na área.

Estas invasoras também precisam de luz. Por isso, pode-se semear uma cultura de cobertura, com a finalidade de criar uma camada de proteção no solo, o que dificulta o desenvolvimento das daninhas.

 

+ SAIBA AINDA: Como fazer dessecação de excelência com ajuda da agricultura digital?

 

Os herbicidas devem ser usados para impedir o desenvolvimento de plantas daninhas e de plantas voluntárias. Mas sua aplicação exige cuidados. É importante utilizá-los com diferentes mecanismos de ação, doses e tecnologias de composição.

Especialistas recomendam esperar um intervalo de 15 a 30 dias após a colheita da safra de soja, por exemplo, para iniciar a aplicação de herbicidas. Porém, o procedimento deve ser realizado sob condições adequadas.

Nesse momento, como a área não possui cobertura, caso as daninhas estejam desenvolvidas, a aplicação de herbicidas pode ser feita em doses maiores, ou o número de aplicações pode aumentar. Mas isso tende a impactar os custos do cultivo.

 

+ CONFIRA: Capim Amargoso, como monitorar e evitar problemas

 

As ferramentas da agricultura digital podem ajudar o produtor a otimizar todas as etapas de cultivo, até mesmo no pós-colheita, em que ele pode, por exemplo, usar esta tecnologia para definir a melhor cultura de cobertura e ganhar eficiência na análise de solo.

Um dos softwares disponíveis no mercado que podem ajudar o agricultor nesta tarefa é a Climate FieldView™ - plataforma de agricultura digital da Bayer, que no pós-colheita permite comparar o desempenho de diferentes culturas de cobertura no mesmo talhão.

É possível usar as funcionalidades desta plataforma desde a implantação da cultura, executando o mapeamento do plantio com o dispositivo FieldViewTM Drive, que coleta e processa os dados da operação, gerando mapas e relatórios diversos.

Um deles é o Mapa de Plantio, que identifica, exatamente, as partes do talhão em que duas ou mais culturas de cobertura foram plantadas. Assim, fica visual a população de sementes utilizada, a data de plantio, qual máquina realizou a operação etc.

 

Nova call to action

 

Mas como determinar qual cultura de cobertura teve melhor impacto sobre a produtividade do talhão? Primeiro o produtor pode acompanhar o desenvolvimento vegetativo da lavoura analisando imagens de satélite do Diagnóstico FieldViewTM. 

Ao final da safra, pode mapear a colheita da área usando também o dispositivo FieldView™ Drive

Desta forma, terá condições de saber, de maneira simples, as regiões do talhão que tiveram melhor produtividade e comparar esse desempenho com as culturas de cobertura que ali foram plantadas. 

O agricultor também pode utilizar a agricultura digital para orientar a análise de solo da lavoura no pós-colheita, usando como base os dados de produtividade do último ciclo.

Com as informações da análise de solo em mãos, ele pode aplicar a quantidade certa de fertilizantes em cada região da lavoura usando a ferramenta de Prescrição Manual de Fertilizantes, o que possibilita reduzir o desperdício e obter maior eficiência.

O produtor pode comparar as regiões em que fez a adubação da área com o Mapa de Produtividade da safra seguinte, podendo analisar o impacto da aplicação dos fertilizantes sobre o resultado de produção em cada talhão.

 

 

Produtor agrícola e agrônoma usam o tablet para avaliar os dados da análise de solo da lavoura

Produtor agrícola e agrônoma usam o tablet para avaliar os dados da análise de solo da lavoura: o objetivo é planejar a adubação dos talhões

 

+ SAIBA MAIS: faça resgate gratuito das licenças de Climate FieldView™ via Impulso Bayer

 

Especialistas não recomendam deixar a área descoberta. Também chamada de pousio, esse termo é utilizado para se referir ao período em que a área de cultivo permanece em "repouso", ou seja, quando não há cultivo e manejo agrícola.

Por isso, caso opte por não plantar uma cultura subsequente, o agricultor deve semear uma cultura de cobertura. 

 

A cultura de cobertura retém maior quantidade de água das chuvas, mantém a umidade do solo, aumenta a capacidade de retenção de nutrientes e reduz a erosão. Além disso, consegue-se preparar o solo para o plantio direto.

Embora existam várias opções de culturas de cobertura, o produtor deve fazer sua escolha com base nas particularidades da propriedade, considerando especialmente as condições climáticas. Uma boa pedida é usar ferramentas digitais para testar nos talhões diferentes alternativas de cobertura. 

Em regiões frias, o ideal é cultivar espécies tolerantes ao inverno. Assim, pode-se plantar aveia, trigo e cevada, por exemplo. Já em regiões quentes, recomenda-se investir em culturas tolerantes à seca e ao calor, como o milho safrinha.

 

Crotalaria juncea

Crotalaria juncea: planta utilizada como cultura de cobertura do solo em diferentes tipos de lavoura

 

Qual a importância da pós-colheita?

A aplicação desse conjunto de técnicas permite a conservação da qualidade dos produtos agrícolas após a colheita. Com isso, é possível evitar danos e alterações físicas, de modo a retardar a deterioração desses produtos.

Principalmente com o transporte e o armazenamento adequados, os grãos, por exemplo, permanecem comercialmente viáveis por mais tempo, facilitando sua venda.

Quanto à manutenção do solo, a prática do pós-colheita, se for bem-feita, ajuda a diminuir a incidência de pragas e daninhas, melhora a atividade biológica e a capacidade de absorção de nutrientes do solo.

A realização do melhor manejo pode impactar positivamente no aumento da produtividade nas próximas safras de verão.

Outra prática importante para se adotar imediatamente após o fim da colheita é a análise de solo. Assim, se tem condições de entender como está a fertilidade dos talhões, adotar medidas de correção e adubação e fazer o planejamento da próxima safra.


Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.

SOMOS HISTÓRIAS DE
SUCESSO

Confira casos reais de lavoura que estão conquistando resultados extraordinários contadas por quem entende melhor do que ninguém: você.
Ver todas