Colheita da soja: veja o ponto ideal para o agricultor

Por Mateus Barros, Líder Comercial Climate América do Sul

Feb 14, 2020

Dicas para colheita de soja na agricultura digital e modernaColheita de soja na agricultura

Principal grão da agricultura brasileira, a soja vem, ano a ano, apresentando níveis maiores de produção e de produtividade.

Incentivados por preços cada vez maiores pagos por países como China, Tailândia, Rússia e pelas nações da União Europeia, os produtores brasileiros têm investido pesado em maquinário, mão de obra qualificada, defensivos mais eficientes, sustentáveis e biotecnologia. 

No entanto, contar só com investimentos focados no manejo da oleaginosa, enquanto a cultura está instalada, não é suficiente. O produtor tem adotado algumas práticas na colheita que visam ter um maior aproveitamento ao final da safra. E aspectos como a umidade do grão e a utilização de máquinas calibradas da maneira correta são parte importante do processo.

Como é feita a colheita da soja para minimizar os riscos da produção?

O sojicultor tem adotado algumas práticas na colheita da soja que visam ter um maior aproveitamento ao final da safra, em que aspectos como a umidade do grão e a utilização de máquinas calibradas da maneira correta são parte importante do processo do plantio da soja. Contar só com investimentos focados no manejo da oleaginosa, enquanto a cultura está instalada, não é suficiente.

Qual o ponto ideal para colheita de soja?

Pode parecer algo simples, mas alguns produtores acabam retardando o início da safra nos meses de setembro e outubro por conta da incidência de problemas climáticos, como excesso ou falta de chuvas, e, na região Sul, até mesmo geadas. Posteriormente, isso também atrasa o início da colheita - e até o plantio de uma cultura subsequente. Uma boa alternativa pode ser encontrar cultivares adequados com o clima daquela região. 

Com a semente ideal para determinada área ou que se adeque as janelas de plantio e colheita de regiões onde o clima é um desafio, o grão poderá apresentar características desejáveis para o transporte e armazenagem, com um peso ideal para ser comercializado.

Qual a umidade ideal para colheita da soja?

De acordo com indicação da Embrapa, a soja deve ser colhida quando o grão atingir entre 13% e 15% de umidade. Caso o mesmo seja retirado do campo com um teor diferente do indicado, o grão pode apresentar alguma deficiência, como peso abaixo do esperado. A umidade adequada também contribui para diminuir a incidência de fungos, por exemplo.  

Para avaliar o momento ideal para iniciar a colheita, pode ser feita uma amostragem no talhão em uma pequena área, onde geralmente é colhida para fazer a avaliação. Isso geralmente é feito no prazo entre cinco a sete dias antes do início da colheita. Caso a umidade seja a ideal, é iniciada a colheita em toda a propriedade. 

Em áreas extensas, é importante monitorar a lavoura com antecedência, já que a soja leva mais tempo para ser colhida e a umidade se altera com o passar dos dias e condições de clima.

É necessário observar, ainda, a coloração do grão. Geralmente, quando a maior parte da produção apresentar um tom marrom ou cinza, a soja estará no estágio correto de formação e maturação.

Pragas da soja

Além da umidade ser um fator extremamente importante, perto do período de colheita pode-se observar, através das vagens, se existe um ataque de pragas de final de ciclo, como percevejos, que possa estar acarretando em perdas. 

Por isso, realizar um bom monitoramento, de início, inclusive até o final do processo de desenvolvimento da cultura, é essencial. Isso mantém as pragas em um nível populacional que não cause dano econômico.

Durante a colheita, o FieldView™, plataforma de agricultura digital da Bayer, pode auxiliar ao agricultor ao, por exemplo, sinalizar, por meio de mapas de satélite, possíveis manchas e zonas em que haja uma variabilidade no desenvolvimento da massa vegetativa da cultura. 

Após uma visita à área, o produtor consegue verificar se esse índice pode ter ocorrido devido ao ataque de pragas ou a outro fator.

Velocidade da colheitadeira

As máquinas precisam ser ajustadas para realizar o processo na velocidade correta. Caso a colheitadeira opere em velocidade reduzida, isso pode atrasar a colheita, e, consequentemente, o plantio de uma segunda e terceira safras. O oposto também pode ocasionar prejuízos, já que é possível ocorrer a quebra dos grãos.

O indicado é que as máquinas operem entre 4 km/h e 6,5 km/h. Outra dica é ter o molinete, responsável pelo recolhimento da soja, na velocidade ideal para não jogar os grãos para fora da máquina.

Outro cuidado relacionado ao maquinário é que se a umidade não estiver adequada,  possivelmente o produtor enfrentará problemas com embuchamento.

Dessecação da colheita

É preciso cuidado ao optar pela dessecação da soja, dado que este procedimento é realizado visando uniformizar a área e antecipar a colheita, aproveitando, assim, a janela da safra para cultivar outras culturas, como milho, sorgo, aveia e mesmo capim braquiária - em áreas onde uma segunda safra for viável. A adoção desse tipo de manejo possibilita com que o grão esteja pronto para ser colhido, em média com até cinco dias de antecedência.

No entanto, a dessecação na pré colheita deve ser feita de maneira organizada e dinâmica. Caso a colheita demore após a dessecação, o produtor pode ter problemas, como abertura de grãos, incidência de fungos (conhecido como grão ardido) ou até mesmo o desenvolvimento da soja no próprio pé (germinação).

Saiba mais: Como a tecnologia pode te ajudar a definir as áreas da safrinha

Monitoramento do plantio à colheita da soja

Acompanhar todas as etapas da produção, do plantio à colheita da soja, exige trabalho e atenção constante, e o uso de plataformas de monitoramento de agricultura digital auxiliam na identificação de possíveis problemas a fim de que possam ser corrigidos rapidamente e possam conter os prejuízos.

Mas como a tecnologia é importante no dia a dia da colheita? Além de ajudar na identificação de um possível problema com pragas, o FieldView™ utiliza informações da colheita, que, cruzadas com dados da pulverização e plantio, podem apresentar correlações no desempenho de determinado híbrido, ou mesmo se a data de plantio, a altitude da área ou a aplicação de algum fertilizante colaborou para o resultado final. 

Mapa Climate Field View - Agricultura moderna de plantaçãoMapa Climate Field View - Agricultura moderna de plantação

O FieldView™ contribui para que o agricultor possa fazer a validação final de todas as decisões que tomou durante a safra, uma vez que em cada talhão é possível verificar qual a produtividade atingida, bem como a eficiência de todos os insumos e manejos realizados. 

Assim, além de identificar um problema em determinado espaço ao final da safra, o produtor pode acompanhar o desenvolvimento dos demais talhões e compará-los, o que possibilita uma ação específica para melhorar a produtividade.

Saiba mais: Como a ciência de dados pode potencializar o monitoramento da fazenda

Sabe o que é o FieldView?

O FieldView™ é uma plataforma de agricultura digital que ajuda o produtor a coletar e visualizar informações dos seus talhões, para que a tomada de decisão seja precisa. Curtiu o nosso conteúdo? Deixe seu comentário abaixo, pois a sua opinião é muito importante nós. E você que utiliza o FieldView™, compartilhe a sua experiência. Para mais dicas, siga as nossas redes sociais (@climatefieldviewbr) 😊

Veja mais: Agricultura 4.0

 

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?