Nova Revolução Agrícola está em curso: a digitalização do campo

Por Equipe FieldView™

May 06, 2021

A agricultura digital abriu caminho para uma das maiores revoluções agrícolas da história, que se iniciou no final do Século 20 e ganhou força nos últimos anos

 

As tecnologias digitais já fazem parte da rotina do agricultor no dia a dia do campoAs tecnologias digitais já fazem parte da rotina do agricultor no dia a dia do campo

 

A trajetória da agricultura mundial não seria a mesma se não fossem algumas grandes Revoluções Agrícolas que aconteceram ao longo da história.

Foram grandes momentos de transformação do campo, marcados pela incorporação de novas tecnologias e de práticas de manejo disruptivas, o que permitiu o desenvolvimento da atividade e o crescimento exponencial da produção rural.

A seguir, vamos conhecer as transformações da agricultura, os benefícios que isso trouxe para o produtor e as características da Revolução Agrícola que está em curso: a transformação digital

 

+ CONFIRA: Afinal, o que é agricultura? 

 

O que é a Revolução Agrícola?

As Revoluções Agrícolas foram transformações que ocorreram no sistema de produção rural na história da humanidade  

Além disso, foram responsáveis por mudanças significativas no modelo de cultivar o solo e por saltos na disponibilidade de alimentos.

 Evolução da população mundial (Fonte: ONU)

  • Ano 1 – 170 milhões de habitantes
  • 1700 – 603 milhões
  • 1800 – 978 milhões
  • 1900 - 1,65 bilhão
  • 1950 – 2,51 bilhões
  •  2000 – 6 bilhões
  • 2021 – 7,87 bilhões (estimativa)
  • 2030 – 8,5 bilhões (estimativa)
  • 2050 - 9,7 bilhões (estimativa)

De 1800 até 2015, a população mundial aumentou 6.5 vezes. E o ritmo continua: o mundo deverá chegar a 8,5 bilhões de pessoas em 2030, o que evidencia um desafio para o setor agrícola: manter a expansão da produção de alimentos e fibras.

 

ONU estima que população mundial atinja 8,5 bilhões em 2030ONU estima que população mundial atinja 8,5 bilhões em 2030 (foto: Mumbai, Índia)

 

Quais foram as Revoluções Agrícolas?

Ao longo da história, as grandes transformações da agricultura ocorreram em diferentes momentos. Vamos falar sobre elas! 

  • 1ª Revolução Agrícola

A agricultura começou a ser praticada por volta de 12 mil a.C. Mas foi entre 8 mil a.C. e 5 mil a.C. (período do Neolítico) que ocorreu um processo que mudou o futuro da Humanidade:  a 1ª Revolução Agrícola.

É nessa fase que o homem descobriu o fogo, o que permitiu dominar a produção de alimentos. Também passou a criar animais e as tribos deixaram de ser essencialmente caçadoras e coletoras.

Se antes as pessoas se deslocavam em busca de água e alimentos, agora elas passaram a se fixar para cultivar o solo, o que propiciou o surgimento das cidades.

Iniciaram o uso de instrumentos para a produção agrícola, produzidos com pedra polida.  Eram machados, enxadas primitivas, pás, raspadores etc. O uso da cerâmica também se tornou comum para a preservação dos alimentos.

 

Revolução Industrial permitiu usar máquinas a vapor na agriculturaRevolução Industrial permitiu usar máquinas a vapor na agricultura (Inglaterra, 1899)

 

  • 2ª Revolução Agrícola

Uma segunda onda marcante ocorreu na Europa entre os séculos 18 e 19. A 2ª Revolução Agrícola visava diversificar a produção no campo e aumentar a produtividade dos cultivos.

Dentre as mudanças adotadas na agricultura, vale destacar algumas:

1)  Uso de cavalos nas operações rurais, o que aumentou a produtividade e reduziu a necessidade do emprego da força humana;

2)  Plantio em larga escala de novos produtos, como a batata e o milho, que tinham grande demanda de uma população cada vez mais urbana;

3)  Concentração de terras;

4)  Aumento da atividade pecuária;

5)  Investimento em pesquisas em diferentes áreas, como em fertilidade do solo;

6)  Produção de fertilizantes, aumentando a média produtiva das áreas agrícolas.

A grande evolução no campo foi resultado da Revolução Industrial, entre meados do Século 18 e início do Século 19. Assim, o surgimento de máquinas nas indústrias contribuiu para a criação de tecnologias aplicadas no trabalho rural. 

Era o início do processo de mecanização do campo, o que ajudou a elevar significativamente a realização das tarefas rurais. 

 

Trator movido a gasolina de 1907, conhecido como “arado para automóveis”Trator movido a gasolina de 1907, conhecido como “arado para automóveis”

 

  • 3ª Revolução Agrícola (Revolução Verde)

Na virada para o Século 20, com a introdução do motor de combustão, outras mudanças drásticas ocorreram. A tração animal foi  substituída por máquinas a gasolina.

E novos tratores substituíram enormes modelos movidos a vapor que eram, então, os responsáveis por rebocar e reabastecer semeadeiras, colheitadeiras, pulverizadores, entre outras máquinas. Isso aumentou a produção em um nível nunca antes visto.

Tomavam forma novas transformações profundas no campo, que ficaram conhecidas como Revolução Verde.

Esse processo de mudanças ganhou força após a Segunda Guerra Mundial, preparando o setor agrícola para suportar a explosão demográfica registrada na segunda metade do século.

Paralelamente, avançavam as pesquisas com defensivos e fertilizantes. A Revolução Verde foi caracterizada por um forte processo de modernização da agricultura, que permitiu aumentar a produção de alimentos a partir das décadas de 1960.

Trouxe inúmeras inovações agrícolas, que foram fruto do investimento de governos, de instituições e de cientistas pelo mundo afora. 

Iniciativa estratégica para o fortalecimento da agricultura brasileira foi a criação da Embrapa, em 1972.

 

+ CONFIRA TAMBÉM: Agricultura de precisão, agricultura 4.0 e agricultura digital: é a mesma coisa?

 

O desenvolvimento de novas cultivares impulsionou a produtividade agrícolaO desenvolvimento de novas cultivares impulsionou a produtividade agrícola

 

A modernização da agricultura

O melhoramento varietal foi muito beneficiado por esse processo de transformações, especialmente com o avanço da engenharia genética e a chegada das biotecnologias.

O desenvolvimento de novas cultivares com diferentes atributos genéticos ficou mais preciso, eficiente e, eventualmente, mais rápido.

Como o caso da primeira soja geneticamente modificada, a Soja RR (Roundup Ready), tolerante ao herbicida glifosato, o que flexibilizou muito o manejo das plantas daninhas no campo. 

Também foi desenvolvida a biotecnologia Bt, permitindo que cultivos, como os de soja, milho e algodão, estivessem protegidos do ataque de pragas-chave, como lagartas desfolhadoras. 

O campo também assistiu outros avanços, como o desenvolvimento das defensivos agrícolas mais seguros e tecnológicos, de máquinas e implementos, de melhores práticas de manejo, de técnicas de irrigação e adubação, e o avanço da agricultura de precisão

Na esteira desse processo, os produtores rurais puderam desenvolver seus manejos e incorporar inúmeras tecnologias, obtendo resultados como:

  • Aumento da produtividade;
  • Otimização do consumo de água, fertilizantes e defensivos;
  • Diminuição dos impactos ambientais no ecossistema (produção mais sustentável);
  • Maior segurança dos funcionários e dos processos (menor probabilidade de falhas);
  • Aumento da eficiência sem a necessidade de maiores gastos;
  • Detecção da escassez de nutrientes no solo;
  • Melhor monitoramento da lavoura.

Segundo a FAO, a produção agrícola mundial triplicou nos últimos 50 anos, principalmente devido à maior produtividade por unidade de terra e intensificação dos cultivos.

A produtividade média brasileira de soja, por exemplo, mais que dobrou comparando com 50 anos atrás, de acordo com a Esalq.

 

+ LEIA MAIS: Qual é a participação do agronegócio no PIB e nas exportações brasileiras

 

Drone monitora área de sojaDrone monitora área de soja

 

Agora a Revolução Agrícola é digital

Um longo caminho foi percorrido pelo setor agrícola desde a introdução da mecanização no campo, passando pelo desenvolvimento de variedades mais tolerantes, uso de produtos defensivos agrícolas e, mais recentemente, o melhoramento genético.

Foram grandes passos em prol da produtividade. Mas o que vem depois disso tudo?

A resposta é a disrupção. Esse termo foi criado pelo professor de Harvard, Clayton Christensen, para descrever inovações que oferecem produtos outrora inacessíveis, acabando por criar novos mercados e formas de consumo. 

Pode não parecer, mas esse processo disruptivo abriu caminho para uma das maiores revoluções agrícolas da história, que se iniciou no final do Século 20 e ganhou força nas últimas duas décadas. 

 

O melhoramento genético ajudou o campo a dar um salto na produçãoO melhoramento genético ajudou o campo a dar um salto na produção

 

E os resultados disso já são realidade.

As transformações que acontecem no campo fazem parte da chamada Agricultura 4.0 e estão relacionadas à digitalização dos processos de produção. Esse fenômeno vai além da simples mecanização do campo. 

As operações e decisões passam a ser orientadas com base em dados retirados do clima, da terra, da lavoura etc. Com foco em melhorar a performance de cada talhão, dispositivos e pessoas trabalham conectados e integrados.

Nessa nova onda de mudanças, ganha forma a  agricultura digital: “mix” de Internet das Coisas, agricultura de precisão e Big Data. Ela é disruptiva por natureza, justamente por mudar a forma de enxergar e explorar o mercado agrícola tradicional.

 

+ CONFIRA O EP. 1 DA SÉRIE HISTÓRIAS DE SUCESSO: Laboratório a céu aberto com Climate FieldView™

 

Tecnologias digitais aumentam qualidade e velocidade das decisões do produtor

Frente ao aumento da população mundial, veio a necessidade irrefutável de aumentar a produção de alimentos nos próximos anos. 

Mas o desafio do produtor é que a maior produtividade precisa acontecer num espaço relativamente menor de cultivo e com uso consciente de recursos naturais - para não resolver um problema criando outros.

Para atingir esse objetivo, a agricultura digital tem várias possibilidades. 

O uso contínuo de tecnologias de agricultura de precisão já está se tornando padrão no país: GPS, monitores de colheita e equipamentos para dosagem de sementes, irrigação e fertilizantes são exemplos.

 

O acesso a grande número de informações facilita as decisões do produtorO acesso a grande número de informações facilita as decisões do produtor

 

Tais equipamentos geram uma quantidade imensa de dados, que descrevem as operações agrícolas com detalhes e permitem análises e conclusões que não seriam possíveis de outra maneira (ou, pelo menos, demorariam muito mais para serem concluídas).

Iniciativas em ascensão, como o uso de estações meteorológicas locais nas fazendas, enriquecem mais esses dados e aumentam a qualidade e velocidade da tomada de decisões dos agrônomos. 

Tudo isso, associado ao uso de computação em nuvem para processamento e armazenamento, se interconecta e forma o tecido dessa nova Revolução Agrícola.

 

+ ENTENDA: Os passos para o desenvolvimento dos produtos da agricultura digital

 

Tomar decisões com base em dados otimiza a gestão da lavouraTomar decisões com base em dados otimiza a gestão da lavoura

 

A partir de dados, é possível dar respostas aos problemas da lavoura

Esse é um contexto desafiador, mas também de oportunidades para o Brasil, que tem grande presença no cenário mundial de produção de alimentos. 

É nessa conjuntura que a Climate FieldView™, plataforma de agricultura digital da Bayer, tem muito a impactar o agro do país. 

A plataforma apoia o produtor por meio de serviços e soluções baseadas em ciência de dados, auxiliando no gerenciamento de suas operações com mais eficiência durante toda a safra, do plantio à colheita.

Mas em que consiste a ciência de dados na agricultura? 

  1. Coleta e transferência de dados.
  2. Armazenamento, processamento, análise e modelagem de dados na nuvem.
  3. Visualização de informações.
  4. Tomada da decisão otimizada.

Com esse apoio, o agricultor tem condições de tomar decisões mais assertivas em todos os manejos e operações adotados. 

Cada ação pode ser tomada sob medida, a partir da análise de dados gerados na realidade de cada metro quadrado da fazenda.

E o acesso a essas informações pode ser feito pelo smartphone ou tablet, de forma  ágil e simples. 

Para o agricultor, as tecnologias digitais tornaram-se uma aliada e tanto para reduzir custos e alcançar altos patamares de produtividade ao final de cada safra.

 

+ CONFIRA TAMBÉM: Como Big Data é utilizado na agricultura?

 

Ferramentas da agricultura digital

As plataformas de agricultura digital não só beneficiam o uso localizado de insumos (agricultura de precisão), como auxiliam o agricultor a melhorar o monitoramento da propriedade rural e o controle do processo produtivo como um todo.

Confira algumas das funcionalidades digitais que são disponibilizadas pelo FieldView™:

  • Geração de mapas e relatórios das operações de plantio, pulverização e colheita por meio do FieldViewTM Drive;
  • Acompanhamento do desenvolvimento vegetativo de cada talhão com imagens de satélite geradas pelo Diagnóstico FieldViewTM, o que também permite a análise de mapas históricos de um talhão;
  • Adição de marcações georreferenciadas em pontos de interesse nos mapas, permitindo acompanhar com mais facilidade o desenvolvimento de uma área e realizar testes específicos;
  • Notificações personalizadas que avisam ao produtor em caso de alguma variabilidade no desenvolvimento da lavoura;
  • Elaboração de prescrições de sementes e fertilizantes em taxa variável, entre outras funcionalidades que contribuem no manejo do dia a dia.

 

+ SAIBA MAIS: Obtenha imagens históricas de seu talhão com o Plano de Entrada do FieldViewTM

 

A digitalização modela uma nova cara para a agricultura

O grande volume de dados gerados disponível, associado à demanda crescente por soluções digitais para problemas conhecidos, acabou por criar um nicho no mercado que respira inovação para se manter vivo. 

É um ganha-ganha nítido: profissionais experientes têm a oportunidade de se aprimorar (e muito!), resolvendo problemas do mundo real, enquanto modelam a nova cara de um negócio primordial para o país e o mundo.

Já os iniciantes ganham a chance de sair na frente ao começarem a se desenvolver em um ambiente repleto de desafios concretos.

Agora é arregaçar as mangas e ajudar a plantar o futuro!

 

+ CLIMATE FIELDVIEWTM: Conheça nossos planos!

 

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você ?

Compartilhar:
conheça o climate fieldview
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.