Como são geradas as imagens de satélite, veja a tecnologia que ajuda sua lavoura

Por Equipo FieldView

Jul 01, 2021

Essas imagens contribuem para o sensoriamento remoto de sua lavoura para os melhores resultados da safra

 

foto de satélite de um campo verde

Os satélites conseguem calcular o índice de biomassa e ajudar nas avaliações da lavoura

 

Quer entender como são geradas as imagens de satélite que apoiam o produtor a ter uma visão geral de sua lavoura?

Resumidamente, elas são geradas por sensores que são acoplados em satélites e podem identificar variabilidade no desenvolvimento das plantas, uma vez que calculam o índice "de verdor", ou seja, de biomassa.

As imagens de satélite na agricultura possibilitam o sensoriamento remoto e resultam em avaliações mais assertivas da área do plantio.

Diversos setores utilizam imagens de satélites já há algum tempo. Com os avanços da agricultura digital e redução dos custos, foi possível aplicar o uso em larga escala na agricultura também.

Isso significa um avanço para atingir os melhores resultados em produtividade. O processamento digital de imagens de satélite facilita a vida dos produtores na identificação identificação de problemas na lavoura, auxiliando a tomada de decisões mais embasadas em dados.

 

+VEJA TAMBÉM: Conheça os principais benefícios dos softwares para a agricultura brasileira

 

como são geradas as imagens de satélites

As imagens de satélite estão cada vez mais presentes na hora das tomadas de decisões na lavoura

 

O que são imagens de satélite?

Segundo a Agência Espacial Brasileira, “uma imagem de satélite é uma imagem da totalidade ou de parte da Terra. As imagens de satélite proporcionam uma visão sinóptica (de conjunto) e multitemporal (em diferentes datas) de extensas áreas da superfície terrestre.”

A imagem de satélite é obtida a partir de sensores imageadores fixados em satélites artificiais. Esses sensores funcionam como se fossem máquinas fotográficas.

A imagem de satélite tem formato digital - composta por um conjunto de pixels - e sua interpretação depende de recursos computacionais.

 

+CONFIRA: Nova Revolução Agrícola está em curso: a digitalização do campo

 

Como as imagens de satélite são geradas?

Elas são geradas através de sensores fixados em satélites que giram ao redor do planeta. Isso quer dizer que elas são obtidas pelo sensoriamento remoto a partir de um satélite artificial.

Esses satélites são construídos com recursos de câmera fotográfica de alto desempenho. Com isso, eles são capazes de tirar fotos, usando lentes tele-objetivas, já que elas possuem uma grande distância focal.

Os sensores presentes nos satélites podem ser passivos, isto é, usarem a Radiação Eletromagnética (REM) natural refletida a partir da superfície terrestre, ou ativos, utilizando a REM artificial, produzida por radares instalados nos satélites.

Diferentes áreas de conhecimento utilizam essas imagens. Na agricultura, por exemplo, os produtores contam com a possibilidade de fazer o sensoriamento remoto de seus talhões, tendo à disposição imagens e mapas históricos de seus talhões.

O uso de tecnologia digital facilita a análise das lavouras. Além disso, ela ganha cada vez mais espaço ao auxiliar os produtores nas tomadas de decisão, fornecendo dados como: extensão da área de plantio e desenvolvimento da lavoura.

 

+ SAIBA MAIS: Acesso grátis* ao Plano Plus do FieldView™ para toda sua área!

 

como são geradas as imagens de satélites-

As imagens de satélite ajudam a monitorar vários fenômenos, naturais ou não

Diferença entre imagens de satélite e as fotografias aéreas

As imagens de satélites são obtidas a partir de satélites que orbitam pela Terra. Os sensores fixados nesses instrumentos, captam a radiação solar refletida pela superfície terrestre, gerando dados que formam as imagens obtidas por esse tipo de sistema passivo.

Para que seja possível acessar essas imagens, elas são enviadas para a Terra por meio da conexão de antenas presentes na superfície. Elas ajudam a identificar e monitorar, por exemplo, fenômenos naturais, desastres ambientais, queimadas, desmatamento, entre outros.

Já as fotografias aéreas são tiradas de áreas determinadas que se pretende mapear. Para conseguir essas informações, câmeras especiais são acopladas em aviões ou nos próprios satélites que fotografam a região em questão.

Os satélites da Climate, por exemplo, tiram a foto (imagem real) e depois, com o algoritmo próprio CCI (Climate Crop Index), é feito o tratamento dessa imagem real e transformado em mapas, com escala de cores que apresentam a variabilidade de desenvolvimento da lavoura.

 

Como as imagens de satélite podem auxiliar o produtor agrícola?

As imagens de satélite na agricultura são importantes para auxiliar os produtores a identificarem problemas na lavoura e obterem os melhores resultados em produtividade.

Com as imagens de satélite, é possível realizar o acompanhamento do desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da lavoura, através do cálculo de biomassa presente no campo.

Se, porventura, as plantas não estão se desenvolvendo bem, essas imagens mostram e ajudam o produtor a priorizar as visitas a campo. Depois, é realizada uma averiguação da região para entender qual fator impactou nesse desenvolvimento e então a decisão de manejo.

Entre os principais fatores, podemos destacar problemas de fertilidade, incidência de pragas, plantas daninhas e/ou doenças.

Vale mencionar que as imagens emitem dados que devem ser transformados em informações e, portanto, precisam de interpretação do fator humano.

Com as imagens geradas por satélite, o produtor pode otimizar a produção e diminuir os custos, com o objetivo de obter melhores resultados e lucro para seu negócio. Com os dados coletados, é possível verificar a necessidade de uso de defensivos agrícolas, por exemplo.

Um caso recente dessa estratégia está relacionado à análise de uma falha na irrigação na lavoura de soja. Durante a colheita, a produtora notou uma diferença de produtividade na região central do seu pivô.

Houve a tentativa de identificar o motivo da baixa produtividade nos mapas de plantio e pulverização, mas não foi detectado um padrão que justificasse essa queda na produtividade. Foi nesse momento que imagens de satélite do FieldView entraram em ação.

Através da análise dessas imagens, ela identificou que o aspersor do irrigador estava com problema, de modo que a parte central do pivô recebesse menor irrigação.

Sabendo que a área central do pivô produziu 73 scs/ha e que as demais áreas do pivô produziram 83 scs/ha, então a diferença de produtividade foi de 10 scs/ha.

 

+ CASO DE SUCESSO: 150 sacas a mais! Agricultura Digital auxilia na produtividade do milho

 

como são geradas as imagens de satélites- fonte embrapa

Imagem de campo gerada por satélite - Fonte: Embrapa

 

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Compartilhar:
CTA-1
Curtiu nosso conteúdo?