Tipos de telemetria: quais tecnologias estão à disposição do agricultor?

Por Equipe FieldView™

Jan 25, 2022

Para receber remotamente dados das máquinas agrícolas e das operações que realizam, o produtor pode utilizar diferentes tipos de telemetria. Conheça alguns deles!

 

Produtor de milho analisa pelo computador os dados de telemetria das máquinas agrícolas

Produtor de milho analisa pelo computador os dados que são enviados remotamente e em tempo real pela telemetria das máquinas agrícolas, mesmo durante a realização das operações no campo

 

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

Diferentes tipos de telemetria de máquinas agrícolas são utilizadas para coletar dados durante as operações e compartilhá-los com o gestor da fazenda e com o agricultor. 

Tudo acontece remotamente e em tempo real, o que permite otimizar a gestão da frota e da operação como um todo.

Esta tecnologia surgiu no começo do século passado e evoluiu com a contribuição da indústria aeroespacial e do setor automobilístico. Nas últimas décadas foi implantada também na agricultura, facilitando a gestão dos dados gerados no campo.

Para utilizar esta tecnologia no dia a dia da fazenda, o produtor pode recorrer a alguns tipos de telemetria de máquinas agrícolas, como a tecnologia original de fábrica, a de coleta dados do maquinário e a de monitoramento da própria máquina.

Boa leitura!

RESGATE COM PONTOS! 

+++

Na agricultura moderna, são utilizados diferentes tipos de telemetria de máquinas agrícolas que podem dar suporte para a tomada de decisão do agricultor, principalmente com relação à gestão da frota de equipamentos e da operação como um todo.

Isto porque a tecnologia coleta dados das operações e os compartilha remotamente e em tempo real para o produtor, permitindo o rápido diagnóstico das informações e a realização de ajustes, se necessário.

A telemetria de máquinas agrícolas potencializou a gestão dos dados gerados no campo, além de permitir que vários processos sejam automatizados. 

Quer saber mais sobre o desenvolvimento dessa tecnologia ao longo do tempo e os diferentes tipos de telemetria de máquinas agrícolas que estão hoje à disposição do produtor? Fique com a gente!

+ LEIA MAIS: O que é a telemetria de máquinas agrícolas e por que deve ser usada?

 

Qual é a origem da telemetria?

O conceito de telemetria é antigo. Surgiu em 1912 como uma tecnologia que servia para monitorar as redes de telefonia e a transmissão de dados. 

Ao longo dos anos, essa tecnologia foi se aprimorando e sendo utilizada em diferentes segmentos. Depois de ganhar força na indústria automotiva na década de 1990, foi a vez das máquinas agrícolas, cada vez mais potentes e tecnológicas, também contarem com os benefícios da telemetria nas últimas décadas.

 

Equipamento agrícola coleta e compartilha inúmeros dados durante a operação na lavoura

Equipamento agrícola coleta e compartilha inúmeros dados durante a operação na lavoura: o envio remoto de informações permitiu um grande avanço para a Agricultura de Precisão

 

A consolidação desta tecnologia nos equipamentos que operam no campo, como colheitadeiras, plantadeiras e pulverizadores, proporcionou um salto para a Agricultura de Precisão, uma vez que permitiu obter à distância e em tempo real uma infinidade de dados sobre as operações e as máquinas. 

Esta tecnologia possibilita ao produtor visualizar online todos os parâmetros do equipamento, podendo entrar em contato com o operador quase instantaneamente para fazer as correções necessárias.

 

Quais são os tipos de telemetria de máquinas agrícolas?

Ao longo do Século XX, o avanço das pesquisas relacionadas à geração de dados nas máquinas e de sua transmissão remota resultou na concepção de algumas tecnologias, que se adaptaram a inúmeras atividades econômicas, como a agricultura.

Com isso, surgiram diferentes tipos de telemetria de máquinas agrícolas, que podem ser agrupados em três grupos distintos, apresentados a seguir. 

 

* Tecnologia original de fábrica 

Os recursos de telemetria são instalados nas máquinas ainda na fábrica. Como essa tecnologia ainda pode ser considerada recente, ela só está disponível nas máquinas mais modernas, que contam com ferramentas robustas e eficientes de gestão e monitoramento.

A telemetria também inclui o compartilhamento de informações de modo remoto, o que é um serviço que possivelmente precisa ser pago à parte pelo agricultor. O valor cobrado varia de acordo com o fabricante e o número de máquinas.

 

+ CONFIRA: Porque compatibilizar máquinas agrícolas com plataformas de agricultura digital?

 

* Tecnologia que coleta dados do maquinário

Também chamada de solução intrusiva, nesse tipo de telemetria os dados são coletados por meio de ferramentas que são conectadas à máquina.

Essa conexão é realizada através do ISOBUS, que é um sistema eletrônico com padrões internacionais utilizados para permitir a comunicação e a troca de informações entre equipamentos agrícolas.

No entanto, esse tipo de dispositivo só pode realizar a leitura de dados de máquinas que contam com o ISOBUS. Esse investimento pode ser alto, já que o produtor precisa gastar com computadores de bordo ou tablets. 

 

+ SAIBA MAIS: Dados agronômicos: como o Big Data é usado no agronegócio?

 

Tecnologia de monitoramento da própria máquina

As tecnologias não-intrusivas são aquelas instaladas na parte externa da máquina. É o caso do rastreador, dispositivo utilizado para coletar dados considerados mais “simples”, como velocidade, localização e informações sobre o motor.

Após a coleta, um software com o apoio da Inteligência Artificial faz o processamento e a correlação dos dados. Esses procedimentos podem ser realizados por softwares como os oferecidos pela Climate FieldViewTM, que é a plataforma de agricultura digital da Bayer

 

Nova call to action

 

Por ser um software de gestão agrícola compatível, o FieldViewTM  envia as informações processadas ao produtor, permitindo que ele saiba as condições de operação da máquina e se o processo está sendo feito com eficiência.

Caso algum problema seja identificado, é possível implementar ajustes e evitar prejuízos. 

 

+ CONFIRA: planos e preços da Climate FieldViewTM

 

3 recursos necessários para implementar a telemetria

Para contar com os benefícios da telemetria, o agricultor precisa, basicamente, de três recursos:

1. Sensores e rastreadores, que são usados para acompanhar as operações das diferentes máquinas. No caso das tecnologias intrusivas, o uso de máquinas mais antigas, que não contam com o ISOBUS, pode ser um obstáculo. Nesse caso, é importante adaptar ou renovar a frota de máquinas;

 

 

Pulverizador aplica defensivo em soja

Pulverizador aplica defensivo em soja: sensores captam dados durante a operação e os transmitem remotamente pela Internet para um centro de operações, o que permite que qualquer problema na pulverização possa ser corrigido imediatamente

 

2. Investimento num programa de gestão agrícola que permita o compartilhamento e a análise dos dados coletados. Deve ser compatível com as máquinas e fornecer ferramentas que facilitem as decisões do produtor;

 

3. É necessário o acesso à internet para que os dados sejam compartilhados. Por isso, é importante ter uma rede de conexão na fazenda. A propósito, esse é um desafio para que o agricultor utilize a telemetria. A recomendação é que se opte por softwares com recursos que também podem ser utilizados offline.

 

+ FIQUE POR DENTRO: ConectarAGRO: a iniciativa que pode oferecer conectividade ao campo

 

Independente dos obstáculos da conectividade, a telemetria, assim como a agricultura digital de modo geral, conquistam espaço no agro brasileiro. De acordo com pesquisa da Embrapa, 84% dos agricultores já utilizam algum recurso digital.

E você é um destes produtores que estão antenados aos benefícios das diferentes tecnologias agrícolas, como a agricultura digital e a telemetria? Clique aqui e saiba mais sobre como o FieldViewTM pode ajudar a melhorar a gestão dos dados da sua fazenda. 

 

+ Acompanhe mais sobre este assunto nos artigos:

 

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

 

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?