Como fazer a análise do solo e o que considerar

Por Equipe FieldView™ em 05/08/2022 10:25:29

O produtor que investe na análise das propriedades químicas e físicas do solo da fazenda consegue tomar decisões mais precisas, que melhoram o manejo da lavoura e aumentam sua produtividade

 

Agricultor coletando amostra para análise do solo.

Coleta de solo na fazenda para análise

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

A análise de solo é formada por um conjunto de testes realizados para descobrir quais são as propriedades físicas e químicas de um determinado terreno.

Na agricultura, esse tipo de análise permite que o produtor monitore o nível de fertilidade do solo, identifique suas características naturais e entenda o que pode limitar a produtividade agrícola.

Assim, ele tem acesso às informações necessárias para definir estratégias de adubação, calagem, manejo e aplicação de insumos específicos para o desenvolvimento de uma cultura.

Para isso, o agricultor precisa fazer o passo a passo correto da análise do perfil do solo, incluindo a etapa de amostragem, que deve ser feita com cuidado.

Após enviar as amostras de solo para o laboratório, basta esperar a divulgação dos resultados e usar esses dados como base para a tomada de decisões estratégicas para a lavoura.

Boa leitura!

_

A busca por uma safra mais produtiva e lucrativa tem influenciado muitos produtores a investirem em técnicas que os ajudem a alcançar esses resultados.

Dentre as técnicas que podem contribuir nesse processo, a análise de solo se destaca.

Afinal, além de ter um custo acessível, esse tipo de avaliação revela várias informações importantes para orientar o produtor em relação ao manejo correto do solo da propriedade.

Assim, ele pode implementar práticas mais eficientes e reduzir os custos operacionais.

Quer saber como isso acontece? Acompanhe os próximos tópicos!

O que é a análise de solo?

Análise de solo é o termo utilizado para se referir ao conjunto de procedimentos realizados para fazer o diagnóstico completo das propriedades da terra.

Para isso, além de quantificar os nutrientes do solo, as amostras coletadas também são utilizadas para avaliar suas propriedades químicas, físicas e biológicas.

Dessa forma, o produtor consegue avaliar a fertilidade do solo, entender o risco de erosão e identificar a necessidade de investir na calagem e na adubação do substrato.

Por isso, na prática a análise do solo permite que o produtor identifique o que falta no solo para que sua lavoura cresça de forma saudável e define estratégias para melhorar essas condições de crescimento.

+ CONFIRA: O segredo da fazenda que colheu 11 sacos de soja a mais

Qual o objetivo da análise do solo?

Com base nos resultados revelados por esse tipo de análise, o produtor consegue alcançar diferentes objetivos, tais como:

  • Monitorar a fertilidade da área;
  • Identificar as características naturais do solo e suas tendências no longo prazo;
  • Entender quais são as propriedades do solo que limitam o desenvolvimento agrícola;
  • Definir quais são as correções necessárias para aumentar a produtividade da lavoura;
  • Manutenção da produtividade da fazenda no longo prazo.

 

Planta ainda pequena se desenvolve em solo fértil.

Com a fertilidade do solo, planta tem condições de expressar todo o seu potencial produtivo

Por que investir na análise do solo da fazenda?

Investir nessa análise é essencial para entender como as características do solo têm influenciado no crescimento da lavoura.

Sem essas informações, a produção ficaria muito mais vulnerável a problemas causados por deficiência nutricional, doenças, pragas, entre outras dificuldades relacionadas à fertilidade.

Afinal, os produtores que não investem nessa análise não conseguem identificar, com antecedência, as condições do solo.

Por isso, eles só descobrem a existência de problemas quando eles já estão avançados na safra a tal ponto que seria difícil resolver a situação.

Por outro lado, as informações reveladas pela avaliação completa do solo possibilitam adotar práticas que evitam esses problemas.

Dessa forma, o produtor consegue aumentar a lucratividade agrícola, reduzir os gastos com insumos agrícolas e otimizar a produção, direcionando seus investimentos e esforços para os locais certos.

Nova call to action

Qual o valor de uma análise de solo?

O custo desse tipo de análise varia de acordo com o laboratório e das avaliações que o produtor deseja realizar.

Em geral, elas têm um preço baixo e acessível, o que torna esse tipo de análise num investimento de excelente custo-benefício, especialmente quando se avalia os benefícios que seus resultados podem promover.

Vale lembrar que essa avaliação permite o consumo inteligente de insumos, como corretivos e fertilizantes, que são aplicados nas dosagens exatas para melhorar as condições do solo.

Como resultado, o produtor consegue reduzir os gastos com insumos agrícolas, que consomem boa parte do orçamento da fazenda.

Quais são os tipos de análise do solo?

Antes de investir neste tipo de análise, o produtor precisa entender as diferentes avaliações que podem ser realizadas no solo da sua fazenda.

Hoje em dia, ele pode escolher entre três tipos de análises distintas. Entenda abaixo!

  • Análise química completa

Como o próprio nome indica, a análise química completa realiza todos os testes necessários para uma avaliação ampla dos macronutrientes e micronutrientes do solo.

Por realizar esse diagnóstico completo, esse tipo de análise é indicado para produtores que ainda não têm nenhum dado sobre o solo de sua fazenda.

Ela também deve ser realizada quando o agricultor planeja adotar um novo sistema produtivo ou em novas áreas de terra que serão utilizadas para fins agrícolas.

Além disso, essa análise deve ser feita quando o produtor identifica alguma perda de produtividade ou problema nutricional na lavoura, mas não sabe o motivo para isso.

Pessoa segurando um punhado de solo fértil com uma muda.

Cuidar do solo é garantir a sustentabilidade da produção da produção agrícola

  • Análise química básica

Ao contrário da análise anterior, nesse caso são realizados apenas os testes básicos para a avaliação das propriedades químicas, físicas e biológicas do solo.

Por isso, ela é indicada para produtores que já possuem informações sobre as condições de solo da área de plantio ou que fizeram esse tipo de análise antes.

Afinal, eles já têm dados que não são variáveis sobre as características do solo. 

O ideal é investir nesse tipo de análise ao menos uma vez ao ano, tornando-a parte da rotina de procedimentos realizados na fazenda.

Dessa forma, o produtor poderá avaliar a disponibilidade de nutrientes ao longo do tempo e quais os melhores sistemas de plantio para a manutenção da fertilidade da área.

  • Análise física

Além das propriedades químicas, é importante que o agricultor conheça as propriedades físicas do solo.

Para isso, é necessário realizar testes para avaliar a granulometria, a porcentagem de areia, silte e argila, dentre outras características do solo.

Esse tipo de análise é importante porque revela informações que influencia não só na fertilidade do terreno, mas também pelos motivos abaixo:

  • Indica os riscos de erosão;
  • Permite a avaliação da disponibilidade de água no solo para as plantas;
  • Ajuda a definir o tipo de defensivo agrícola que deve ser utilizado na lavoura, já que existem produtos compatíveis com perfis específicos de solo;
  • Facilita a escolha de culturas apropriadas para o perfil de solo da fazenda.

+ LEIA MAIS: Colheu a safra de verão? Veja o que fazer no pós-colheita

Como é feita a análise de solo?

A análise de solo é realizada em diferentes etapas. Por isso, explicamos abaixo os 5 passos para fazer esse tipo de avaliação na fazenda.

1. Defina a época de análise

Embora não exista uma época certa para fazer essa análise, o ideal é que o processo seja realizado em períodos que apresentem as melhores condições para a coleta do solo e a interpretação dos resultados.

Nesse cenário, é importante que a coleta seja feita no início do período de seca e com uma certa antecedência em relação à época de plantio.

No caso de culturas com produção perene, o ideal é fazer a amostragem do solo logo após a colheita.

Lembrando que a coleta de terra para análise não pode ser feita após a aplicação de fertilizantes, porque esses produtos vão alterar os resultados da avaliação.

Implemento conectado a um trator aplica fertilizante no solo.

A coleta de solo para análise não pode ser feita após a aplicação de fertilizantes

2. Divida a fazenda em porções

Após definir as melhores datas para investir nesse tipo de teste, está na hora de definir o local de coleta de amostras. Afinal, a avaliação deve ser feita com amostras de terra das áreas produtivas.

Para isso, é necessário dividir a propriedade em glebas, porções ou subtalhões, com no máximo 10 hectares.

Essa divisão deve ser feita com base no histórico de manejo da área, na textura e coloração do solo, no relevo do terreno, dentre outras características.

Dessa forma, cada porção de terra dividida representará áreas com características homogêneas e bem definidas, facilitando a análise completa de toda a variação do terreno.

3. Faça a coleta das amostras de solo

O ideal é coletar entre 15 e 20 amostras de solo de cada área da propriedade dividida no passo anterior. Antes disso, é fundamental limpar uma pequena porção de terra de cada uma dessas áreas.

Isso é importante para retirar toda a vegetação, os restos culturais e demais resíduos que possam atrapalhar a análise do solo.

Depois disso, é necessário utilizar um enxadão para cortar o terreno e abrir uma cova com cerca de 20 cm de profundidade.

Assim, fica mais fácil para utilizar uma pá reta e retirar uma parcela da parede da cova.

Todas as amostras de uma mesma área de coleta devem ser colocadas num balde, onde serão misturadas.

Em seguida, é necessário retirar cerca de 250 a 500g de solo, que devem ser acondicionadas num saco plástico.

Esse saco deve ser identificado com as informações sobre a propriedade, como nome da fazenda e do proprietário.

Além disso, também deve conter dados específicos sobre a área de coleta, como relevo e espécie cultivada no local, bem como informações sobre a data da coleta e o número da amostra.

Vale lembrar que esse processo deve ser repetido em todas as áreas da propriedade e que o solo precisa estar seco para viabilizar a coleta.

Além disso, não é recomendável que a terra seja retirada de locais próximos a residências, galpões, depósitos de insumos, estradas, formigueiros, entre outros espaços cuja construção possa ter modificado a estrutura e a composição original do solo.

 

Análise laboratorial do solo.

Amostra de solo é analisada no laboratório

4. Envie as amostras para o laboratório

As amostras coletadas devem ser enviadas para um laboratório de análise de solo confiável, com equipamentos e técnicos capacitados para fazer todos os testes necessários.

Essa análise pode ser feita no IBRA (Instituto Brasileiro de Análises), que é parceiro da plataforma digital Climate FieldView, por exemplo.

O IBRA é um laboratório de análise de solos capacitado para gerar diagnósticos sobre fertilidade do terreno, composição microbiológica do solo, entre outras avaliações.

Além disso, ele se diferencia por apresentar sua própria plataforma digital, a FieldPoint, que permite o georreferenciamento facilitado das amostras e ainda converte os resultados da análise em mapas de solo, facilitando sua interpretação.

Os dados gerados pelo FieldPoint podem ser levados para o FieldView, onde são integrados com as diferentes funcionalidades da plataforma.

A partir desta integração, os resultados da análise de solo realizada pelo IBRA podem ser comprados com mapas históricos de satélite do Diagnóstico FieldView, por exemplo, permitindo aos produtores condições de avaliar o desenvolvimento vegetativo de suas áreas. 

No caso de o mapa indicar alguma irregularidade nesse aspecto, o produtor saberá, por meio do georreferenciamento, onde deverá coletar as análises.

Com o aplicativo FieldPoint, ao coletar as amostras nos locais indicados na lavoura pelo mapa, o responsável pela coleta saberá exatamente as particularidades do solo naquela área do talhão e poderá levar as informações deste diagnóstico para o Fieldview™.

Isto facilita o planejamento da correção e, ainda, possibilita que o produtor avalie, safra a safra, como está a recuperação do solo de determinada área.

+ SAIBA MAIS: Agricultura Digital e Agricultura 4.0: o que é, estratégias e como utilizar

5. Interprete os resultados da análise

A interpretação dos resultados da análise do solo varia de acordo com as plantas cultivadas no local e o tipo de manejo utilizado.

Para entender os resultados da análise química, por exemplo, o agricultor pode consultar as tabelas que apresentam a quantidade de nutrientes necessários para o desenvolvimento saudável de cada espécie.

Esse tipo de tabela é desenvolvido por pesquisadores que estudam a relação entre nutrição, solo e desenvolvimento vegetal e pode ser encontrado no site da Embrapa.

A partir disso, o produtor pode comparar os resultados da sua análise com os níveis de nutrientes necessários para o bom desenvolvimento da cultura.

Assim, ele pode pensar em estratégias de adubação e aplicação de fertilizantes para repor os nutrientes que estão abaixo do desejável.

Outro resultado importante revelado pela análise da composição do solo é o valor do pH de cada área do terreno.

Essa avaliação revela o nível de acidez do solo e pode indicar a necessidade do processo de calagem, por exemplo, que consiste na adição de cal na terra para reduzir a acidez do solo.

Caso tenha dúvidas sobre a interpretação dos resultados da análise, o produtor deve entrar em contato com um agrônomo ou técnico agrícola capacitado.

Assim, além de entender melhor os resultados, o agricultor obtém as instruções necessárias para corrigir o solo e melhorar sua produção.

Gostou do conteúdo? Confira as novidades sobre o mundo agro e agricultura digital no blog da Climate FieldView!

 

+ Acompanhe mais sobre este assunto nos artigos: 

* Plantio em taxa variável: é uma boa estratégia?

* Qualidade de dados na agricultura digital: a garantia de análises mais assertivas

* Como a tecnologia pode te ajudar a definir as áreas da safrinha

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.

SOMOS HISTÓRIAS DE
SUCESSO

Confira casos reais de lavoura que estão conquistando resultados extraordinários contadas por quem entende melhor do que ninguém: você.
Ver todas