Plantio em taxa variável: é uma boa estratégia?

Por Guilherme Buck, agrônomo de desenvolvimento de mercado, Bayer

Feb 28, 2020

aplicacao de milho em taxa variavel na agricultura digital

Para ter uma margem maior sobre a venda das sacas de soja ou milho e produzir grãos de qualidade, os gestores das propriedades rurais prezam ao máximo pela eficiência. Nesse aspecto, os benefícios da agricultura de precisão, que utiliza sensoriamento remoto e GPS, bem como a análise de dados oriundos da agricultura digital, para a aplicação de insumos em taxa variável, são muito importantes na hora de preparar o plantio e cuidar do manejo.

Um dos exemplos dessa prática pode ser colocar mais insumos em solos onde há uma maior quantidade de biomassa e potencial de produtividade, ou diminuir onde a área não registre um bom padrão de fertilidade, como em solos arenosos, que exigem uma correção e acompanhamento a longo prazo.

No entanto, nem todos conhecem os benefícios da fertilidade ou da semeadura em taxa variável. Então, listamos aqui algumas dicas para tornar a vida do produtor mais fácil nesse processo:

Quatro dicas para o uso de sementes em taxa variável 

Definindo ambientes de produção

No sistema de agricultura convencional, o cultivo ocorre de forma homogênea, ao considerar a taxa média de produtividade daquele espaço. Isso pode influenciar em um custo excedente, já que não é levado em conta que uma parte daquele talhão pode ser mais produtiva do que outra, e pode acabar por utilizar recursos em pontos sem necessidade.

O primeiro passo é coletar pequenas amostras de solo para avaliar o potencial produtivo de toda a fazenda. Feito esse levantamento de dados, o produtor pode usar softwares de agricultura digital para correlacionar o histórico sobre a quantidade de sacas produzidas em cada hectare da propriedade com a fertilidade da área. 

Dessa forma, é possível entender as necessidades reais dos talhões e saber para onde direcionar a aplicação dos insumos com maior efetividade.

Densidade da semeadura

A densidade da semeadura é muito importante na hora de preparar a área de plantio, pois a quantidade de plantas por talhão ou hectare pode alterar o fechamento das entre linhas e impactar na incidência de pragas, penetração de defensivos e no acamamento do cultivo. Esses fatores incidem justamente na qualidade dos grãos ao final da safra.

Em áreas reduzidas ou com baixo grau de fertilidade, é interessante verificar a quantidade insumos a ser aplicada, o que normalmente varia de acordo com o potencial do talhão. Se a utilização de sementes deve ser menor em solos considerados pobres, os talhões que apresentam mais produtividade devem receber uma concentração maior de sementes. 

Dessa maneira, o produtor consegue otimizar a aplicação de recursos em áreas que apresentam um retorno superior de sacas por hectare, além de ajudar a conservar a água, a biomassa e os nutrientes que ajudam na fertilidade do solo, o que, por sua vez, impacta diretamente no desenvolvimento das plantas. 

milho safrinha em semente variavel agricultura digital

Espaçamento entre as linhas

O espaçamento entre as linhas (ou arranjo) também é um ponto chave no processo da produção agrícola. Na aplicação por taxas variáveis, evita-se plantas duplas ou com espaçamento muito reduzido. 

A disposição das sementes cultivadas pode alterar aspectos da produção, como o manejo de pragas e plantas daninhas, o uso da água e nutrientes, a incidência de luz sobre as plantas, o nível produtividade e a qualidade dos grãos durante a colheita.

Na agricultura de precisão, o produtor deve levar em conta, também, as condições climáticas daquela região. Ao escolher um híbrido adequado à sua realidade, pode-se evitar perdas e oferecer mais eficácia para determinada aplicação. 

Saiba mais: Como a tecnologia pode te ajudar a definir as áreas da safrinha

Maquinário

Com as plantadeiras adequadas, o plantio de sementes em taxa variável é feita nos espaços que apresentam maior potencial de produtividade, como o grau de fertilidade para a produção das plantas naquele talhão, considera a velocidade de deposição das sementes e o deslocamento das máquinas. Essas máquinas harmonizam a quantidade e o espaçamento a ser utilizado.

Além disso, os pulverizadores conseguem aplicar os defensivos, quando necessário, percorrendo o trajeto desenhado pelo engenheiro agrônomo nas microáreas com maior necessidade de manejo da propriedade. Isso é feito com o auxílio de mapas gerados em tempo real através de softwares de agricultura digital, de acordo com o monitoramento do plantio e o avanço das máquinas nas linhas e marcações desenhadas previamente.

Com mapas em tempo real, ferramentas como o FieldView™, plataforma de agricultura digital da Bayer, tornam a vida do agricultor muito mais fácil, já que permitem a compilação de dados de histórico de monitoramento de colheita e produtividade dos talhões de interesse, com uma análise de desempenho rápida sobre a produção da fazenda. Tudo em um único lugar.

No caso da aplicação por taxa variável, essas ferramentas permitem ao produtor pensar em técnicas para minimizar impactos com pragas ou plantas daninhas, reduzir a aplicação de um defensivo de maneira desnecessária e priorizar as áreas que necessitam de uma atenção especial antes do plantio, extraindo, assim, o máximo de produtividade em cada parte da propriedade.

Saiba mais: Como a ciência de dados pode potencializar o monitoramento da fazenda

Sabe o que é o FieldView?

O FieldView™ é uma plataforma de agricultura digital que auxilia o produtor a coletar e visualizar informações dos seus talhões, para que a tomada de decisão seja precisa, evitando prejuízos. Curtiu o nosso conteúdo? Deixe seu comentário abaixo, pois a sua opinião é muito importante nós. E você que utiliza o FieldView™, compartilhe a sua experiência. Para mais dicas, siga as nossas redes sociais (@climatefieldviewbr) 😊

Veja mais: Agricultura 4.0

 

Compartilhar:
conheça o climate fieldview