Semeadura em taxa variável: quais os benefícios para a soja e o milho?

Por Equipe FieldView™ em 30/01/2023 13:49:37

Aumento da produtividade, uniformização da lavoura e redução de custos operacionais são algumas das vantagens de se investir nessa estratégia. Saiba mais!

semeadura-taxa-variavel (3)-1Plantio de soja.

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

A semeadura em taxa variável se refere a uma tecnologia de aplicação de insumos utilizados na semeadura, como sementes e fertilizantes, conforme a variabilidade espacial do talhão. 

Por ser uma estratégia associada à agricultura de precisão, a taxa variável exige o uso de diferentes recursos e tecnologias para tornar o plantio mais eficiente. Entre eles, se destacam os mapas agrícolas, sensores e software de gestão agrícola

Com o auxílio desses recursos, o produtor consegue aplicar os insumos de forma inteligente e assertiva, promover a uniformização da lavoura, aumentar a produtividade, entre outros benefícios.

Boa leitura!

+++

A semeadura em taxa variável é um dos resultados do constante investimento em tecnologia no campo. Graças a esses investimentos, hoje é possível integrar diferentes recursos da agricultura de precisão para aplicar insumos agrícolas considerando a variabilidade espacial do terreno. 

Assim, em vez daquela aplicação homogênea, que não considera as diferenças existentes em cada talhão, o produtor promove uma distribuição personalizada e mais eficiente dos insumos. 

Por conta desses e de outros benefícios, a tecnologia da taxa variável é considerada uma inovação importante para modernizar a fazenda e melhorar os resultados da safra de soja, milho e qualquer outra cultura. 

Quer aprender mais sobre essa tecnologia e como aplicá-la na sua propriedade? 

Acompanhe a leitura!

O que é taxa variável na agricultura? 

A taxa variável é uma estratégia associada à agricultura de precisão que permite a aplicação de insumos agrícolas em diferentes dosagens, que variam conforme o ponto do talhão. Ou seja, trata-se de uma estratégia baseada na variabilidade espacial dos talhões da fazenda. 

Basicamente, ao invés de definir uma taxa média fixa de aplicação de insumos em toda a área de plantio, o produtor ajusta a aplicação do produto conforme as necessidades de cada ponto da lavoura.

Para isso, o agricultor precisa analisar várias informações sobre a fazenda, como fertilidade do solo, topografia, histórico de pragas e doenças, variações climatológicas, entre outros fatores que influenciam no desenvolvimento das plantas. 

Assim, ele identifica as propriedades físicas, químicas e biológicas, bem como as dificuldades de manejo em cada ponto do talhão. 

Baseado nesses dados, o agricultor pode utilizar diferentes tecnologias para ajudá-lo a aplicar os insumos de forma localizada e em quantidades específicas, conforme as necessidades do solo e da lavoura. 

Como resultado, o agricultor reduz os gastos com insumo e ainda uniformiza a capacidade produtiva da área.

Vale lembrar que a tecnologia da taxa variável começou a ser utilizada ainda nos anos 1980. Porém, somente depois do advento do Sistema de posicionamento global (GPS) e de dispositivos que permitem a variação da vazão ou dosagem de produtos, ela pode ser desenvolvida e se tornar mais eficiente. 

Ainda hoje, essa tecnologia vem passando por melhorias, responsáveis por transformar a taxa variável numa ferramenta para modernizar e otimizar os resultados da lavoura moderna.

O que é semeadura em taxa variável?

semeadura-taxa-variavel (2)-1Operação de plantio.

A semeadura em taxa variável se refere à estratégia ou método de aplicação de insumos utilizados na semeadura, como sementes e fertilizantes, conforme a variabilidade espacial do talhão. 

Como o processo de plantio pode definir o sucesso ou fracasso da lavoura, ao aplicar essa estratégia na semeadura, o produtor aumenta as chances de que a população de plantas se estabeleça de forma rápida e uniforme. 

Mas, para atingir bons resultados com essa técnica, também é necessário fazer um estudo prévio sobre as condições da área de plantio. 

Nesse caso, o produtor pode analisar dados de mapas de fertilidade, potencial produtivo, entre outras particularidades regionais.  

Com base nessas informações, é possível fazer os ajustes necessários para viabilizar a semeadura personalizada conforme o ponto do talhão.

Quais os benefícios da semeadura em taxa variável? 

Como é possível imaginar, a aplicação de insumos em taxa variável exige o uso de diferentes recursos, que devem ser adotados mediante a orientação e análise técnica. 

Apesar disso aumentar os custos de implantação, o investimento realizado na semeadura em taxa variável pode ser convertido em diferentes benefícios para o agricultor. Conheça alguns deles a seguir:

  • Aplicar os insumos de forma inteligente e assertiva;
  • Promover a uniformização da lavoura;
  • Facilitar o estabelecimento da plantação;
  • Orientar o processo de semeadura com base em dados;
  • Aumentar a produtividade;
  • Reduzir a aplicação de insumos agrícolas;
  • Diminuir os custos de produção;
  • Melhora o aproveitamento da lavoura em comparação aos resultados obtidos a partir da semeadura homogênea. 

Como funciona a taxa variável na agricultura?

semeadura-taxa-variavel (5)-1Prescrições de sementes.

A estratégia da taxa variável é baseada, principalmente, em mapas agrícolas e sensores. Essas duas ferramentas podem ser usadas de forma isolada ou em conjunto, sendo que a metodologia que usa sensores é considerada a mais avançada. 

Conheça as diferenças entre os dois métodos abaixo:

Mapas agrícolas

Os mapas representam graficamente as características de cada ponto do talhão, como níveis de fertilidade, topografia, irrigação, entre outros dados. 

Por essa razão, eles podem ser usados para orientar a definição da quantidade de insumos que deve ser aplicado em cada ponto da lavoura. 

Para utilizar esses mapas, o primeiro passo é investir na sua produção. Para isso, o produtor precisa investir na coleta de diferentes informações, conforme a etapa do plantio no qual a taxa variável será utilizada. 

No caso da semeadura, é necessário fazer a análise de solo, obter imagens de satélite e buscar o histórico de produtividade, pragas e doenças que atingem as fases iniciais da lavoura. 

Sensores

Já os sensores podem ser utilizados para coletar informações em tempo real sobre a área de plantio. Isso permite que o agricultor ou técnico responsável pela operação também controle em tempo real a quantidade de produto aplicado em cada ponto do talhão. 

Nesse caso, o produtor pode utilizar os dados obtidos a partir de sensores ópticos, de reflectância, entre outros tipos para obter informações imediatas sobre as condições da lavoura. 

Como fazer a semeadura em taxa variável?

Conforme explicado, o produtor deve analisar várias características da área de plantio para fazer a semeadura em taxa variável. Para te ajudar a implementar essa estratégia, a recomendação é seguir os seguintes passos.

1. Faça a análise do solo

A análise do solo é fundamental para avaliar as propriedades físicas, químicas e biológicas antes do início do plantio. 

Com base nos resultados dessa avaliação, o produtor pode definir estratégias de adubação e fertilização do substrato, etapas essenciais para preparar a terra para a semeadura.

2. Analise os dados históricos da lavoura

Quais foram os resultados obtidos nas últimas safras? Quais foram as dificuldades enfrentadas pelo produtor nos últimos ciclos de plantio? Essas são algumas das perguntas que devem orientar o agricultor na hora de coletar e analisar os dados históricos da lavoura. 

Para fazer o levantamento dessas informações, ele pode consultar e comparar, imagens de satélite, relatórios, dados financeiros, histórico de pragas e plantas daninhas, entre outros dados. 

E não se esqueça de avaliar os mapas agrícolas, especialmente os mapas de produtividade e de colheita, já que também indicam quais pontos do talhão foram mais ou menos produtivos nas safras anteriores.

3. Defina a população ideal

Além de analisar os fatores que influenciam no plantio, o produtor também precisa definir qual o tamanho da população de plantas mais adequada para as condições oferecidas pela área da lavoura. 

Para isso, é importante avaliar as características da cultura que será plantada, como sua capacidade reprodutiva, condições ideais para o seu desenvolvimento, particularidades de cada cultivar, entre outros dados. 

Além disso, o produtor precisa avaliar como essas características podem ser afetadas pelas condições oferecidas pela área de plantio. 

Por se tratar de uma análise complexa, o ideal é consultar um engenheiro agrônomo ou técnico agrícola, profissionais capacitados para determinar a população de cada área, considerando suas limitações e potencialidades.

4. Use os resultados para orientar a operação

A partir dos resultados da análise de solo e da avaliação dos dados históricos da fazenda, o produtor pode cruzar informações e identificar as causas da variabilidade identificadas pelos dados. 

Para isso, o produtor pode contar com a ajuda de um software de gestão agrícola, que utiliza a inteligência artificial para integrar todas essas informações, facilitar a comparação de dados e otimizar essa investigação

Com base nos resultados dessa avaliação, o produtor pode calcular o insumo necessário para a semeadura e ajustar o maquinário para iniciar a operação na área da lavoura. 

Além disso, ele pode utilizar o software de gestão para orientar e acompanhar todo o processo de semeadura em tempo real, considerando dados de sensores, drones, satélites, entre outros recursos da agricultura de precisão. 

Assim, é possível realizar o plantio considerando a variabilidade espacial e otimizar os resultados da safra de milho, soja, algodão, entre outras culturas.

semeadura-taxa-variavel (4)-1Sementes para plantio de soja.

Plataforma digital ajuda o produtor a aplicar a taxa variável

A aplicação da taxa variável nas diferentes etapas da lavoura, inclusive na semeadura, depende da análise de diferentes dados e do controle e ajuste correto do maquinário. 

Ou seja, trata-se de uma tecnologia que exige investimento técnico, financeiro e uma boa gestão e integração de dados da lavoura. 

Por isso, é importante que o produtor utilize uma boa plataforma agronômica para ajudá-lo a planejar e gerenciar essa operação complexa de forma eficiente e assertiva. 

E o Climate FieldView™, plataforma digital da Bayer, oferece todos os recursos necessários para ajudá-lo nessa tarefa. 

Além de integrar dados e gerar mapas e relatórios, o produtor pode utilizar o FieldView para acompanhar as operações da lavoura em tempo real, consolidar dados agronômicos, comparar dados e automatizar processos. 

Assim, fazer a semeadura com taxa variável fica muito mais fácil.

Conheça agora mesmo todos os recursos do Climate FieldView™ para otimizar seu plantio!

 

Nova call to action

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.

SOMOS HISTÓRIAS DE
SUCESSO

Confira casos reais de lavoura que estão conquistando resultados extraordinários contadas por quem entende melhor do que ninguém: você.
Ver todas