Mapas de fertilidade na agricultura de precisão: como interpretar e por que usar?

Por Equipe FieldView™ em 03/08/2022 12:36:53

O mapeamento da fertilidade do solo é essencial para orientar o produtor a aplicar as doses de insumos necessários para o desenvolvimento saudável da lavoura.

 

Produtor examinando a qualidade do solo.

Produtor confere a fertilidade do solo onde a lavoura de milho foi plantada

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

Os mapas de fertilidade na agricultura de precisão são ferramentas criadas a partir da coleta e da análise inteligente de dados do solo.

Esse mapeamento é importante para que o produtor entenda os níveis de nutrientes disponíveis para as plantas em diferentes pontos da lavoura.

Porém, o ideal é que esse mapa seja avaliado em conjunto com os mapas de produtividade.

Dessa forma, o produtor pode estabelecer a relação entre causa (solo) e efeito (lavoura), facilitando a implementação de medidas para a correção de problemas e melhoria da produtividade.

Por isso, é fundamental que o agricultor invista na análise do solo e num software que processe esses resultados e crie mapas de fertilidades corretamente.

Boa leitura!

_

A fertilidade do solo e a produtividade da lavoura são parâmetros que estão diretamente ligados.

É que, quando a planta não encontra no solo os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento, a produção agrícola sofre uma queda e a rentabilidade da safra é reduzida.

Para evitar esses problemas, o produtor pode criar e consultar o mapa de fertilidade da lavoura, que apresenta informações essenciais para entender a relação entre solo e produção agrícola.

Por isso, nos próximos tópicos explicaremos como interpretar esse tipo de mapa e como o agricultor pode criar seu próprio mapa de fertilidade em apenas 5 passos.

+ LEIA: Como identificar a fertilidade do solo?

O que são mapas de fertilidade do solo?

Os mapas de fertilidade são representações gráficas que indicam a variabilidade de elementos presentes na composição do solo.

Por isso, esse tipo de mapa é caracterizado por apresentar manchas de diferentes cores, sendo que cada cor indica as condições de fertilidade da área.

Essa fertilidade é avaliada de acordo com a identificação dos nutrientes necessários para o desenvolvimento da lavoura em determinada região.

Para contar com essas informações, geralmente os produtores utilizam recursos da agricultura de precisão para obter amostragens georreferenciadas de solo.

A partir da análise dessas amostras são criados esses mapas de fertilidade.

Assim, o produtor consegue analisar as condições do solo e avaliar se é necessário fazer alguma interferência, como aumentar o uso de determinado tipo de fertilizante, ou aplicar mais ou menos deste insumo em determinada região da lavoura.

Pessoa segurando um punhado de solo fértil.

Produtor mostra solo fértil, pronto para ser cultivado

Por que investir em mapas de fertilidade na agricultura de precisão?

Os mapas de fertilidade são considerados grandes aliados do produtor para melhorar o processo de produção agrícola.

Por isso, eles têm sido muito utilizados como ferramenta da agricultura de precisão, facilitando a análise físico-química do solo.

Na prática, é como se o mapa de fertilidade revelasse o estado de saúde da terra, apontando as áreas que estão saudáveis e se contam com todos os nutrientes necessários para a planta.

Além disso, ele também indica as regiões com algum déficit nutricional que podem prejudicar o desenvolvimento das plantas.

Dessa forma, o agricultor pode utilizar essas informações para aplicar fertilizantes e outros insumos em doses variadas conforme a necessidade da área.

Como consequência, é possível otimizar a aplicação desses insumos em cada talhão e fornecer às plantas todos os nutrientes que ela precisa para se desenvolver.

Além disso, o produtor ainda economiza a aplicação de produtos, já que eles são utilizados apenas na dosagem e nos locais necessários.

Por fim, os mapas de fertilidade na agricultura de precisão são utilizados como fonte de dados para a criação de outros mapas importantes: o mapa de exportação de nutrientes e o mapa de recomendação.

Ambos podem ser utilizados para orientar o produtor que busca melhorias para a sua lavoura.

 

+ SAIBA MAIS: Plantio em taxa variável: é uma boa estratégia?

 

Como interpretar os mapas de fertilidade do solo?

Os mapas de fertilidade devem ser avaliados em conjunto com os mapas de produtividade, que também são obtidos a partir do uso de ferramentas da agricultura de precisão.

Afinal, o mapeamento de produtividade mostra os resultados das práticas de manejo utilizados na lavoura.

Assim, ele permite que o agricultor entenda se a plantação está se desenvolvendo bem ou se existe algum problema nos talhões.

 

Nova call to action

O agricultor pode sobrepor os mapas de Produtividade e de Fertilidade para identificar a relação entre os problemas de fertilidade do solo e o patamar de produção obtido nas regiões que apresentaram alguma deficiência de fertilidade

A partir dessa avaliação, é possível interpretar o mapa de fertilidade com três finalidades diferentes.

Entenda abaixo:

  • Correção do solo

Quando uma mesma área apresenta níveis baixos de fertilidade e produtividade, é possível estabelecer a relação entre causa e efeito do déficit nutricional.

Ou seja, a baixa fertilidade prejudica a produtividade da lavoura. Assim, o produtor pode investir na correção localizada do solo para resolver o problema de desenvolvimento daquela região.

  • Aumento da produtividade

Além de ser utilizado como orientação para correção do solo, esses mapas também podem ser consultados quando o produtor não identifica nenhum problema na lavoura, mas deseja aumentar sua produtividade.

Para isso, ele pode aumentar o volume de insumos aplicados em cada talhão, no limite recomendável, para elevar sua produção.

  • Redução da aplicação de insumos

Além disso, esses mapas também podem ser utilizados para reduzir a aplicação de insumos, já que eles revelam com precisão o que cada parte da lavoura necessita para se desenvolver de modo saudável.

Isso porque eles apontam o que a planta precisa para realizar seus processos fisiológicos corretamente e o que o solo precisa oferecer para que isso aconteça.

Dessa forma, o produtor pode fazer aplicações localizadas de insumos, reduzindo os custos de produção.

 

Mão adubando a planta.

Aplicação de fertilizante no solo

 

Como fazer mapas de fertilidade na agricultura de precisão?

Para aproveitar todas as informações que esse tipo de mapa consegue oferecer, o produtor precisa aprender como criá-lo. Para isso, basta seguir os 5 passos abaixo:

1. Crie uma grade amostral

É impossível criar um mapa de fertilidade do solo sem fazer sua análise. Por esse motivo, o primeiro passo para fazer esse mapeamento é criar uma grade amostral.

Para isso, é necessário utilizar um software de Sistema de Informação Geográfica (SIG), como o QGIS, para dividir a área da lavoura virtualmente em células ou pontos.

Isso é importante porque permite que cada parte do terreno seja analisada quanto aos seus aspectos físico-químicos.

Assim, o produtor tem acesso a um volume maior de informações, que serão utilizadas para tomadas de decisões mais assertivas.

2. Faça a coleta de amostras do solo

Com base na grade amostral do terreno, o produtor ou agrônomo pode ir a campo coletar amostras do solo, que devem ser georreferenciadas.

Para fazer essa coleta, geralmente se utiliza um quadriciclo equipado com um amostrador elétrico, hidráulico ou à combustão.

Além disso, o quadriciclo também é equipado com um GPS, utilizado para que a coleta seja realizada nas coordenadas corretas.

O ideal é que sejam coletadas cerca de 6 a 8 amostras em cada ponto georreferenciado.

Todas essas amostras devem ser homogeneizadas, ou seja, devem apresentar características parecidas. Depois disso, elas são armazenadas em um saco identificado com as coordenadas do ponto de coleta.

Vale lembrar que o número de amostras pode variar, sendo que quanto maior esse número, mais elevado será o custo e o tempo necessário para concluir essa etapa.

Por outro lado, o maior número de amostras também aumenta o volume de informações obtidas a partir da análise do solo e ainda reduz o erro amostral.

3. Envie as amostras para o laboratório de análise de solo

Após finalizar a etapa de coleta e identificação do solo, está na hora de enviar as amostras para um laboratório de análises especializado nesse tipo de avaliação.

Essa análise pode ser realizada pelo IBRA (Instituto Brasileiro de Análises), que também oferece um aplicativo chamado FieldPoint para auxiliar no registro dos dados da amostragem de solo.

No laboratório, os técnicos realizam todos os testes necessários e obtêm os resultados brutos da análise, que são devolvidos ao produtor.

Em alguns casos, os dados também podem ser enviados já processados e interpolados, facilitando sua análise.

 

Mapa de análise do solo.

Mapa de análise de solo de um talhão, gerado pelo IBRA

 

4. Utilize um software para criar os mapas a partir dos dados analisados

Os dados resultantes da análise laboratorial do solo são inseridos num software SIG.

Esse programa faz a interpolação entre os dados referentes aos pontos em que a coleta foi realizada, utilizando essas informações como base para estimar os valores de fertilidade das áreas não amostradas.

Depois disso, o software cria o mapa de fertilidade composto por vários pixels. Cada um desses pixels possui um valor específico que se reflete em cores diferentes no mapa.

Todos esses procedimentos podem ser realizados entre 10 a 20 dias. Esse prazo é considerado rápido para todas as análises de solo e suficiente para que o agricultor tenha subsídios a tempo de tomar decisões assertivas para a safra seguinte.

5. Utilize o mapa de fertilidade para melhorar a produção da lavoura

O último passo do processo de criação desse mapa é interpretar os dados apresentados e implementar as mudanças necessárias para corrigir problemas e aumentar a produtividade da lavoura.

Para isso, o produtor também pode contar com as informações fornecidas pelo IBRA e integrar esses dados com a Climate FieldView™, a plataforma digital da Bayer.

Dessa forma, o planejamento da amostragem pode ser feito com maior agilidade e o agricultor pode gerar prescrições manuais de fertilizantes.

Para conhecer melhor a fertilidade de cada área da fazenda e prescrever com eficiência a aplicação de fertilizantes, o produtor pode correlacionar mapas de satélite gerados pelo Diagnóstico FieldView™ e mapas de produtividade com o mapeamento da fertilidade da lavoura.

Ao analisar todos estes dados, será muito mais fácil melhorar os resultados da lavoura!

+ Acompanhe mais sobre este assunto nos artigos:

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.

SOMOS HISTÓRIAS DE
SUCESSO

Confira casos reais de lavoura que estão conquistando resultados extraordinários contadas por quem entende melhor do que ninguém: você.
Ver todas