4 dicas para evitar perdas na colheita do milho safrinha

Por Equipe FieldView™

Apr 20, 2022

Especialistas explicam como medidas simples e eficientes ajudam o produtor a evitar perdas na colheita da safrinha

A pulverização é parte fundamental para o aumento da produtividade

 

A pulverização é parte fundamental para o aumento da produtividade

 

+ Sem tempo de ler o texto todo? Confira os principais destaques!

A colheita do milho safrinha geralmente ocorre entre os meses de abril e junho, a depender das condições ambientais, da época do plantio, entre outros fatores. 

Mas o processo de colheita exige alguns cuidados que precisam ser tomados para que a produtividade da lavoura não seja prejudicada, como controlar plantas daninhas, evitar danos aos grãos e regular as máquinas

Para minimizar o risco de perdas nesse momento crucial da safra, especialistas recomendam 4 estratégias que são essenciais para assegurar o sucesso da safrinha de milho. 

Boa leitura!

+++

 

Houve um tempo em que o milho safrinha não tinha muita relevância para a produção nacional de grãos, já que sua produtividade não era tão elevada quanto a do milho de 1a safra

Porém, com o aperfeiçoamento do manejo e uso de tecnologias, esse pensamento ficou para trás. Não apenas a produtividade média melhorou, como a produção total do milho safrinha já supera a 1a safra.

Contudo, para atingir esse nível de produtividade, é preciso se dedicar ao manejo do milho de 2a safra. Especialmente durante a colheita, que se não for bem conduzida, pode trazer prejuízos ao produtor. 

A única forma de evitar problemas durante a colheita do milho safrinha é investir em boas práticas antes e durante a operação e respeitar o tempo certo para começar o processo de colheita.

Quer saber mais sobre isso? Trouxemos alguns especialistas, que trazem 4 dicas para evitar perdas na colheita do milho safrinha. Confira!

 

+ LEIA: 25 mil reais a mais! Como a agricultura digital auxilia no cultivo da safrinha

 

Grãos de milho são transbordados pela colheitadeira sobre o caminhão durante o processo de colheita da lavoura

Grãos de milho são transbordados pela colheitadeira sobre o caminhão durante o processo de colheita da lavoura

 

Quanto tempo dura a safrinha do milho?

O sucesso da safrinha depende do planejamento. Com um bom cronograma de plantio e colheita, é possível sintonizar a lavoura de milho 2a safra com o calendário da cultura de verão, além de se antecipar a eventuais problemas.

O ideal é que o plantio seja realizado após a colheita de verão (de soja, por exemplo). Geralmente a semeadura da safrinha ocorre entre janeiro e março, a depender das características climáticas e ambientais da fazenda. 

Para ter acesso a essas informações, é recomendável conferir de graça o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) da região no site do MAPA (Ministério da Agricultura). 

 

+ SAIBA MAIS: Como saber se o milho está pronto para colheita!

 

Quando é a colheita do milho safrinha?

A época de colheita do milho safrinha ocorre entre abril e junho, a depender do período de semeadura e do ciclo da cultura. 

Vale lembrar que, após o plantio, o ciclo de desenvolvimento da safrinha é concluído entre 105 e 140 dias, variando de acordo com a característica genética do híbrido, as condições ambientais e as práticas de manejo. 

Porém, para assegurar a produtividade da safrinha, não basta ajustar o plantio e a colheita à época certa. Quando chega o momento de colher a lavoura, é importante seguir algumas recomendações para evitar perdas.

 

Espiga de milho pronta para ser colhida na lavoura

Espiga de milho pronta para ser colhida na lavoura: o tipo de híbrido selecionado para uma área também deve levar em conta a colheita

 

4 boas práticas para evitar perdas na colheita do milho safrinha

Se não forem adotadas práticas adequadas, a operação de colheita pode reduzir a produção do milho safrinha. 

Segundo o engenheiro agrônomo Felipe Stefaroli, da área de Desenvolvimento de Mercado em Proteção de Cultivos para Herbicidas da Bayer, os problemas da colheita podem ser evitados antes mesmo do plantio da cultura. 

Para ele, o sucesso da colheita é resultado da integração de uma série de fatores que merecem atenção do produtor, desde o estabelecimento da lavoura, até a colheita propriamente. Vale citar alguns deles!

  • Preparo de solo
  • Escolha de híbridos
  • Tipo de adubação
  • Cuidado com o processo de plantio
  • Monitoramento do desenvolvimento vegetativo das plantas
  • Manejo Integrado de pragas

 

+ CONFIRA: Capim Amargoso, como monitorar e evitar problemas

 

Fatores como estes podem influenciar no resultado final da colheita. O engenheiro agrônomo afirma que, caso haja falha em alguma das etapas, o produtor pode enfrentar dificuldades na operação. 

Como exemplo, ele menciona um problema no plantio. “Se houver um erro na distribuição de sementes e a população de híbridos for maior em uma determinada área, as plantas competirão por água, nutrientes e luz”, diz.

Este problema, segundo ele, resultará em plantas com desenvolvimento desigual. “Assim, a máquina pode não colher as espigas das plantas devido à regulagem de altura da plataforma estabelecida para a colheita”, completa. 

Mas especificamente no momento da colheita, quais cuidados tomar? Vamos acompanhar 4 dicas para evitar perdas na colheita do milho safrinha, segundo Felipe Stefaroli.

 

Corda-de-viola é uma planta daninha que pode levar dor de cabeça ao produtor de milho safrinha

Corda-de-viola é uma planta daninha que pode levar dor de cabeça ao produtor de milho safrinha durante o desenvolvimento e a colheita da lavoura


  • Áreas limpas

A "limpeza" das áreas com plantas daninhas na lavoura é importante para que não ocorra prejuízo à operação das colheitadeiras. 

Por essa razão, é importante que o produtor tenha seguido as recomendações do manejo de herbicidas para manter as áreas limpas. 

“Embora a ocorrência de plantas daninhas possa ser menor na 2a safra quando comparada à 1a safra (de verão), as recomendações do manejo de herbicidas não devem ser desconsideradas”, aconselha Stefaroli.  

Por exemplo, as daninhas prejudicam o trabalho das máquinas, causando o “embuchamento”. Outro problema que ocasionam é o aumento da umidade na lavoura.

“Além disso, os resíduos que podem ficar junto à produção na armazenagem também prejudicam a qualidade do produto na entrega dos grãos”, lembra Stefaroli.

 

Máquina realiza a colheita do milho safrinhaMáquina realiza a colheita do milho safrinha

 

  • Perdas mecânicas

De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), as perdas mecânicas da colheita podem provocar a redução de até 50% na produtividade da cultura sucessora.

Isso pode ocorrer porque os grãos que caem no solo durante o processo de colheita da cultura de verão podem germinar e tornar-se plantas voluntárias durante a safrinha, que vem logo em seguida.

Como consequência, essas plantas indesejadas passam a competir com o milho safrinha por água, luz e nutrientes. 

“Quando há a presença de grãos de milho em algumas áreas, caso as plantas emerjam, ainda é possível que o produtor consiga fazer o controle por meio da aplicação de herbicidas pós-emergentes”, destaca Stefaroli.

 

+ LEIA AINDA: Agricultura moderna: como a evolução das colheitadeiras potencializou a produção agrícola

 

Porém, quando existem espigas na área, as plantas podem germinar em fases diferentes (vários fluxos). “Por esta razão, é imprescindível que haja atenção à regulagem das colheitadeiras”, acrescenta o engenheiro agrônomo.

Patrícia Dias, gerente técnica do Grupo Sementes Vitória de Rio Verde (GO), concorda com esse cuidado. Para colher a área de safrinha, sempre se assegura que foi realizada uma calibragem criteriosa das colheitadeiras.

“Além de uma regulagem inicial na colheitadeira, os operadores fazem um ajuste na plataforma a cada área, de acordo com o híbrido plantado”, conta Patrícia. 

 

+ CONFIRA TAMBÉM: Milho safrinha: 9 passos para potencializar a produtividade

 

  • Velocidade das máquinas

Segundo a Embrapa, a velocidade recomendada para a máquina durante a colheita do milho deve ser de 4 km/h a 6 km/h, considerando que os níveis toleráveis de perdas são de 1,5 saca/ha. 

Para minimizar essas perdas, Patrícia monitora a colheita em tempo real por meio de plataformas de agricultura digital. “No nosso caso, usamos o FieldView™ e conseguimos saber se os operadores estão colhendo na velocidade certa”, conta Patrícia Dias. 

“Quando a colheitadeira passa de 6 km/h, sabemos que pode haver a quebra dos grãos. Por isso, nos preocupamos em acompanhar o trabalho”, acrescenta a agrônoma.

 

Nova call to action

 

  • Agricultura digital

A agricultura 4.0 é considerada o braço direito do produtor para que ele alcance maiores tetos produtivos em sua lavoura. 

Isso é possível porque seus recursos permitem a associação de softwares de gestão agrícola, plataformas e dispositivos para um acompanhamento mais eficaz da produção. 

“Por meio dos mapas da Climate FieldView™ (que é a plataforma de agricultura digital da Bayer), por exemplo, o produtor pode fazer estimativas de produtividade por talhão, além de analisar o desempenho de diferentes híbridos após a colheita”, indica Stefaroli.

O produtor também pode acompanhar o desenvolvimento lavoura pelas imagens do Diagnóstico FieldView™. Assim ele consegue identificar problemas na área com antecedência, como a presença de pragas e déficit nutricional. 

Os relatórios gerados pelo Fieldview™ também permitem que o produtor identifique quais técnicas produtivas e híbridos geraram um melhor resultado econômico na safra. 

 

Produtor utiliza o celular para acompanhar os dados sobre a lavoura de milho

Produtor utiliza o celular para acompanhar os dados sobre a lavoura de milho

 

Além disso, de acordo com a agrônoma Patrícia, os gerentes operacionais do FieldView™ conseguem saber quando a máquina precisa de ajuste durante a colheita. 

E caso seja detectada alguma falha, o próprio maquinário emite  cores que indicam atenção. Assim, o operador para a colheitadeira imediatamente e faz a devida correção. 

Por isso, hoje os recursos da agricultura 4.0 são considerados indispensáveis para o agricultor que deseja melhorar os resultados da sua colheita do milho safrinha.

 

+ Acompanhe mais sobre este assunto nos artigos:

* Prepare-se para a safrinha: curso mostra como a tecnologia digital pode auxiliar o produtor

* Safra colhida, armazenada e o que virá agora?

* Por que compatibilizar máquinas agrícolas com plataformas de agricultura digital?

 

+ Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Compartilhar:
Curtiu nosso conteúdo?