Monitoramento de doenças na lavoura: como a tecnologia pode ajudar

Por Equipo FieldView

Jun 26, 2021

Entenda a importância do acompanhamento do desenvolvimento das doenças dos cultivos e como incluir ferramentas digitais para monitorá-las no seu dia a dia

 

folha de uma planta amarelada e esburacada

Plantações devem ser monitoradas para evitar um ataque de pragas que causa dano econômico

 

As doenças são uma grande preocupação dos agricultores, principalmente pelas perdas de produtividade que elas causam. Por isso, o monitoramento da lavoura é essencial para evitar prejuízos durante todo o período de cultivo.

De acordo com estudo da ESALQ/USP, conduzido pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), os impactos causados na produtividade de cultivos de soja, milho e algodão no Brasil, variam de 9,5% a 40%, de acordo com o tipo de doença analisada sem o devido controle.

O emprego da tecnologia para a produção agrícola em larga escala - biotecnologia, máquinas e implementos agrícolas, agricultura de precisão e digital, traz agilidade e facilidade no manejo da lavoura.

Dessa forma, também, a tecnologia deve ser uma aliada do produtor, auxiliando nas tomadas de decisões no campo.

 

+ LEIA TAMBÉM: Nova Revolução Agrícola está em curso: a digitalização do campo

 

Principais doenças de soja e milho

Antes de falar em monitoramento, é importante mencionar quais são as categorias de doenças que podem comprometer as plantas.

Fungos são responsáveis por 70% das doenças do complexo soja e milho. Eles se propagam por meio de esporos e conseguem sobreviver no solo, ou seja, entre um plantio e outro. As doenças causadas por fungos que mais acometem grãos são:

  • Antracnose;
  • cancro da haste;
  • crestamento foliar de cercospora
  • ferrugem;
  • mancha alvo
  • mancha púrpura;
  • podridão radicular de corynespora
  • mancha foliar de Ascochyta;
  • mancha de mirotécio;
  • mancha olho-de-rã;
  • mancha parda e requeima.

Há ainda o míldio; tombamento e morte em reboleira de rhizoctonia; tombamento e murcha de sclerotium; oídio; mofo branco; podridão de carvão da raiz; podridão parda da haste; podridão radicular; seca da haste e da vagem e podridão vermelha da raiz.

Vírus: São microrganismos que contaminam as plantas com baixo teor nutritivo. Eles dependem das plantas para se manter vivos e podem se instalar por meio de ranhuras causadas por insetos.

Na soja, as doenças causadas por vírus são:

  • mosaico cálico;
  • mosqueado do feijão;
  • mosaico comum da soja;
  • necrose da haste;
  • queima do broto.

Bactérias: Se desenvolvem e sobrevivem apenas em temperatura e condições favoráveis. Elas podem causar diferentes tipos de danos, não só nas folhas, mas nas demais partes estruturais da cultura.

As doenças que podem surgir na soja são:

  • crestamento bacteriano;
  • fogo selvagem;
  • pústula bacteriana;
  • mancha bacteriana marrom.

Deficiência nutritiva: Além de microrganismos que mencionamos, a própria estrutura da planta pode dar margem para o surgimento de doenças. Uma planta com uma quantidade equilibrada de nutrientes pode resistir melhor a condições nocivas.

 

+ SAIBA MAIS: Conheça as 9 doenças que mais preocupam o produtor de soja


monitoramento de doenças na lavoura-

O monitoramento ajuda a manter o controle de pragas na lavoura

 

Afinal, o que é o monitoramento de doenças?

Diante de tantos problemas, o monitoramento de doenças na lavoura é essencial para auxiliar o produtor nas tomadas de decisões de manejo. Ele visa verificar a dinâmica do progresso do patógeno no hospedeiro, em função do tempo.

Portanto, estamos falando de um conjunto de habilidades práticas e técnicas de análise que o produtor deve realizar constantemente. O objetivo é detectar e controlar doenças e evitar prejuízos na qualidade do produto e na lucratividade da safra.

Os fatores mais importantes em um monitoramento vão desde observação das condições climáticas, o ambiente, tipo de patógeno e tipo de hospedeiro.

Continue a leitura para entender que práticas estão atreladas a esse contexto.

 

+ CONFIRA: Produtividade de 78 scs/ha com manejo de cobertura em área de soja

 

Principais métodos de monitoramento de doenças

O acompanhamento da lavoura deve ser constante, começando antes mesmo do plantio e indo até a colheita. As raízes, as folhas, as hastes, as flores e os frutos devem ser analisados para a detecção de invasores.

O monitoramento de doenças implica, além de abordagens práticas, no conhecimento técnico de sintomas. Por isso, o olhar cuidadoso do produtor e as contribuições de profissionais de agronomia podem ser grandes aliados.

O principal método é acompanhar a lavoura em todas as etapas do cultivo. Com isso, você será capaz de tomar decisões em tempo hábil. Portanto, considere as seguintes ações:

  • Ter conhecimento do histórico da região, clima e qualidade do solo;
  • Identificação dos sintomas de cada tipo de doença que pode acometer a lavoura;
  • Vistoria periódica de brotações vegetativas e eliminação de mudas com malformação;
  • Acompanhamento da evolução de sintomas e das previsões meteorológicas, com atenção redobrada no período de floração, frutificação e colheita;
  • Vistoria periódica e intensa nos meses de maior precipitação e calor;
  • Avaliação do aparecimento de manchas e desidratação de folhas, sobretudo em períodos de estresse hídrico.

 

+ RADAR METEOROLÓGICO: não seja pego de surpresa! Fique atento às condições climáticas do seu talhão

 

Controle de doenças em grãos e o MID

Vale dizer que o monitoramento é o principal aliado no controle de doenças, os quais podem ser realizados de diversas formas:

  • Controle cultural: esta técnica atua na eliminação dos restos culturais e das plantas daninhas no período entressafras.
  • Controle varietal: neste caso também há aplicação da genética. Melhora-se a tolerância da cultura por meio de processos de melhoramento genéticos.
  • Controle biológico: é feito com a utilização de inimigos naturais, ou seja, parasitas, fungos, predadores, vírus ou bactérias.
  • Controle químico: método bastante conhecido e que precisa ser feito de forma criteriosa. A utilização de defensivos agrícolas precisa ser feita de forma rotativa, a fim de que as pragas não se selecionem resistentes.

Todas as considerações que trouxemos aqui direcionam para uma medida conhecida entre os agricultores: o Manejo Integrado de Doenças - MID.

Ele é importante para assegurar a sustentabilidade da lavoura, ainda mais quando se trata de uma ameaça que está cada vez mais presente na agricultura do país.

Oferecer um ambiente equilibrado evita proliferação de organismos nocivos às culturas, e reduz perdas e aumenta a produtividade da lavoura. Tudo fica ainda mais efetivo quando o produtor usa tecnologia digital como aliada.

 

+ VEJA TAMBÉM: Agricultura moderna: plataformas para monitoramento de pragas

 

Nova call to action

 

Como a tecnologia digital contribui para o monitoramento de doenças no campo?

O uso de tecnologias digitais para realizar o monitoramento de doenças na lavoura é fortemente recomendado ao produtor para auxiliá-lo no alcance de resultados positivos em sua colheita.

No formato digital de acompanhamento, é possível ter uma visão geral da saúde da lavoura de forma rápida, visual e muitas vezes a distância, uma vez que plataformas de agricultura digital disponibilizam imagens e mapas da lavoura quinzenalmente.

Isso sem contar que esta forma permite a identificação de variabilidades no desenvolvimento vegetativo da lavoura, que a olho nú não seria possível, cabendo ao produtor realizar uma visita ao local para conferir do que se trata o possível problema.

Localizar e conhecer as particularidades da propriedade, bem como o histórico das áreas e os detalhes do entorno da lavoura pode ser tarefa complexa. No entanto, graças à tecnologia digital aplicada à agricultura, o processo pode ser mais ágil.

Conheça algumas funcionalidades muito utilizadas para realização do monitoramento de doenças:

  • Imagens de satélite do Diagnóstico FieldView™

Com auxílio de satélites e sensoriamento remoto, é possível obter imagens e mapas da sua lavoura, que auxiliam a tomar decisões embasadas por dados. Essas imagens são captadas por lentes de alta resolução que registram padrões de cores, relevo, entre outros dados, utilizando para isso o NDVI e CCI

Através das imagens de satélite a priorização do monitoramento, identificação de problemas de forma rápida e tomada de medidas para proteção sua produtividade, pode ser realizada com o apoio de três tipos de imagens para cada talhão cadastrado:

Mapa de Vegetação, Mapa de Monitoramento e Imagem Real. Você pode entender melhor cada uma delas, clicando aqui.

  • Marcações georreferenciadas

O produtor pode contar com a tecnologia de georreferenciamento da plataforma Climate FieldView™ para aprimorar o monitoramento de sua lavoura, ou seja, pode utilizar a funcionalidade dos PIN's para registrar informações, imagens de infestação na área e pontos de interesse do talhão, como áreas de testes e manejos realizados.

No celular, tablet ou computador, o agricultor e seus colaboradores podem conferir os pontos marcados nos mapas e realizar o acompanhamento de forma mais assertiva e próxima.

Nesse caso, FieldView™ auxilia a compreender, por exemplo, como determinada área marcada está se desenvolvendo, ou ainda, de que forma a foi ou será a aplicação de fungicidas daquele pedaço do talhão.

  • Prescrições Manuais

Vamos supor que seja necessário realizar a pulverização de fungicidas no talhão, porém somente em algumas áreas de interesse ou que foram marcadas com um ou mais PIN's.

Outra funcionalidade crucial para este momento de escolha são as prescrições manuais de pulverização, que apoiam o produtor a direcionar a aplicação de defensivos de forma customizada e em taxa variável.

Tudo isso usando como base os mapas e imagens de satélite que mostram a variabilidade presente em cada talhão, ajudando a otimizar a quantidade de insumos e maximizar a rentabilidade.

De posse disso, é possível criar um mapa de aplicação que direcionará o local, vazão e dosagem exata para um controle de doenças satisfatório.

 

Nova call to action


  • Mapeamento da pulverização com FieldView™ Drive

O FieldView™ Drive é um dispositivo que coleta e processa dados agronômicos dos maquinários, gerando mapas e relatórios das operações em tempo real.

Isso apoia o produtor a ter uma maior eficiência operacional, devido o acompanhamento da performance das máquinas agrícolas, desde o plantio, pulverização, até a colheita.

Como a operação é vista através do tablet na cabine do operador, caso, no meio do processo, ocorram falhas na aplicação ou o combustível esteja acabando, você saberá exatamente em qual local o problema ocorreu, podendo corrigir e continuar a operação normalmente.


+ PLANO PLUS: entenda mais sobre os benefícios da experiência completa com Climate FieldView™

 

Compartilhar:
layout-climate-ctablog-climategeral-03
Curtiu nosso conteúdo?