Cana-de-açúcar: plataformas digitais possibilitam minimizar riscos climáticos na lavoura

Por Equipe FieldView™

Jun 22, 2021

Com o apoio da agricultura digital, produtores podem antever e ainda identificar com agilidade problemas causados pelo clima

cana-de-açúcar - canavialO clima pode ter grande impacto no desenvolvimento do canavial

 

Chuvas, seca, geada, vento forte... O clima influencia o desenvolvimento do canavial, independente do momento da cultura, podendo acarretar grande impacto no resultado da safra.

Uma boa pedida para as usinas sucroenergéticas é usar a agricultura digital para terem maior previsibilidade das condições climáticas e para identificarem as consequências das oscilações do clima sobre a cultura, permitindo uma gestão mais assertiva do negócio.

Quer um exemplo?

Em outro artigo deste blog já contamos histórias bem-sucedidas da Usina Diana Bioenergia com o uso das ferramentas digitais.

Neste, vamos conhecer como eles têm utilizado as funcionalidades da Climate FieldViewTM - plataforma de agricultura digital da Bayer - para lidar com outros problemas preocupantes no canaviais: geadas e queimadas. Confira!

 

+ LEIA MAIS: Os benefícios da agricultura digital para a cultura da cana-de-açúcar

 

Mapas digitais apontam danos de geada em cana-de-açúcar

Localizada na cidade de Avanhandava (SP), a Diana Bioenergia utiliza mapas de satélite do Diagnóstico FieldView™ para identificar uma queda brusca de biomassa nas imagens de monitoramento da lavoura.

As imagens foram fundamentais para que a Usina pudesse verificar que a presença de uma grande mancha avermelhada em seus talhões foi causada por uma grave geada, o que permitiu a adoção de medidas com agilidade, como a imediata colheita da área afetada.

 

Mapa de monitoramento do Diagnóstico FieldView™ à direita mostra, em vermelho, as áreas atingidas pela geada

  

+ CONFIRA TAMBÉM: Ferramentas digitais e o poder do mapeamento da biomassa

 

Agricultura digital permite identificar áreas atingidas por queimadas

Ao se avaliar os mapas de monitoramento do Diagnóstico FieldView™ dos canaviais da Diana Bioenergia, temos outro exemplo. Neles é possível notar uma queda brusca de biomassa de algumas áreas.

Não há exatamente um padrão de reconhecimento, mas quando se compara com as imagens do Mapa de Vegetação, a coloração está acinzentada em parte da lavoura.

 

Comparação entre mapas de vegetação permite detectar área atingida por queimadas

 

Já na imagem de Monitoramento (abaixo) dos mesmos talhões, especificamente onde a cana está alta não se percebe grande variação, pois o fogo foi rápido, não chegando a queimar totalmente a folhagem.

 

Análise do mapa de Monitoramento do Diagnóstico FieldView™

 

Radar Meteorológico: ferramenta pode ser decisiva para a gestão do canavial

 Além de sofrerem com a possibilidade de geadas e de o clima seco propiciar a ocorrência de incêndios na lavoura, os canaviais estão propensos a outros problemas relacionados às condições climáticas.

Considerando a importância que têm sobre a produção canavieira, o clima também pode ser acompanhado por ferramentas digitais.

O FieldViewTM disponibiliza o Radar Meteorológico, funcionalidade que apoia o produtor por meio da previsão detalhada das chuvas (por dia e por hora) e da velocidade do vento.

Esta ferramenta mostra a previsão de chuvas para as próximas 6 horas, bem como traz o acumulado das últimas 24 horas.

Os dados gerados pelo Radar podem ser úteis em diferentes momentos pelo produtor de cana ao longo da safra, como para otimizar a pulverização e para evitar problemas operacionais no plantio e na colheita.

Esta funcionalidade também apoia o produtor na maturação do canavial, uma vez que esse processo apenas ocorre de forma satisfatória em tempo seco e com temperaturas mais baixas.

O Radar pode ajudá-lo a definir o momento ideal de aplicação de um defensivo chamado maturador. Isto porque é importante que seja pulverizado quando houver umidade no solo durante o processo, mas a chuva não pode cair no momento da aplicação.

Este produtor, que visa maximizar a concentração de açúcar na planta, deve ser aplicado segundo as recomendações técnicas: umidade do ar acima de 55%, temperatura abaixo de 30°C, velocidade do vento variando de 3 a 15 km/h.

 

+ PREVISÕES CLIMÁTICAS: Acompanhe com o Radar Meteorológico

 

Eficiência operacional por meio do mapeamento das operações no canavial

Além de usar imagens de satélite e o radar meteorológico, a Diana Bioenergia também tem utilizado o FieldViewTM Drive com o objetivo de fazer o mapeamento das aplicações de defensivos da lavoura.

Este dispositivo coleta, processa e interpreta dados gerados pelos equipamentos de maneira eficiente, gerando mapas e relatórios, o que tem sido bastante útil para a empresa durante as operações de pulverização.

Além disso, os gestores da usina, durante a aplicação de defensivos, podem acompanhar remotamente e em tempo real se a operação está sendo realizada dentro do recomendado.

Já na cabine, caso algum problema seja detectado pelo operador no visor do tablet, como velocidade do equipamento ou vazão de pulverização fora do ideal, é possível parar a máquina e fazer o ajuste necessário, sem correr riscos de perder a aplicação.

 

+ Histórias de Sucesso: Ep. 3| Identificando falhas de plantio e evitando prejuízos

 

Imagem do Canavial da Diana Bioenergia

 

Parceiro de vários produtores brasileiros, o FieldView™ pode te auxiliar em diversos manejos do seu canavial, permitindo alcançar mais resultados e tomar as melhores decisões. Quer conhecer mais histórias de sucesso, como da Diana Bioenergia? Clique aqui!

 

Compartilhar:
CTA
 
Curtiu nosso conteúdo?
Deixe seu comentário abaixo.