5 testes de plantio para implementar com apoio da agricultura digital

Por Equipe FieldView™

Jul 26, 2021

No momento de estabelecer a lavoura, as ferramentas digitais podem te auxiliar na realização de testes de materiais, densidades, tratamentos de sementes e na definição da melhor velocidade de operação

       Com o apoio de diferentes ferramentas digitais, o produtor pode realizar diferentes testes no momento do plantio

 

A última safra já ficou para trás, seus resultados já foram avaliados e é hora de dar a largada na operação de plantio dos grãos mais cultivados no país, a soja e o milho

A etapa de estabelecimento dessas culturas é crucial para o sucesso do próximo ciclo de verão.

Mas além de se preparar para semear seus talhões com excelência, o produtor também pode aproveitar esse momento para fazer diferentes testes, a fim de obter dados sobre seus manejos e otimizar os resultados das culturas.

Até recentemente, essas possibilidades talvez fossem descartadas por envolverem muitas tarefas adicionais ao plantio, como marcar materiais e tratamentos com estacas, colher separadamente as áreas de ensaio ou usar escalas diferenciais, entre outras dificuldades.

Mas agora, graças às ferramentas disponibilizadas pela agricultura digital, é possível:

  • Realizar testes de forma simples,
  • Não atrapalhar o desenvolvimento de outras atividades agrícolas,
  • Compilar e processar dados georreferenciados de forma automática.

Neste texto, trazemos 5 testes que podem ser realizados em safras de milho e soja, sugeridos por especialistas e produtores rurais.

 

+ LEIA: A agricultura digital pode potencializar seu plantio de soja. Confira como!

 

1) Testes de materiais potencializados com a tecnologia digital

Definir os híbridos e as variedades que serão utilizados em cada talhão é uma das decisões que mais têm influência no resultado da colheita. Por isso, é importante identificar quais têm o melhor desempenho em cada região da lavoura.

Para que seja possível fazer essa avaliação, o produtor pode plantar materiais diferentes em um mesmo talhão e submetê-los ao mesmo controle. Uma estratégia eficaz para descobrir os que têm melhor performance para cada ambiente de produção.

Porém, planejar um teste como esse não é simples. Deve-se levar em consideração que muitos talhões podem ter áreas com diferentes potenciais produtivos.

Por esse motivo, é importante que os materiais a serem testados sejam plantados em áreas semelhantes ou que sigam a mesma variabilidade. 

Para definir esses ambientes, o produtor pode contar com o apoio da agricultura digital, como a plataforma Climate FieldViewTM, da Bayer. Assim, é possível comparar imagens históricas de satélite registradas pela funcionalidade Diagnóstico FieldViewTM, que ficam armazenadas em nuvem.

 

        Correlação entre a imagem de satélite do Diagnóstico FieldViewTM e o mapa de híbridos plantados na área

 

A seguir, confira alguns exemplos de testes de materiais que podem ser feitos pelo produtor no mesmo talhão na época do plantio.

  • Faixas: plante uma linha de diferentes materiais de lado a lado no campo. Na imagem abaixo, você pode ver o caso de um produtor que testou 64 híbridos diferentes.

Neste ensaio, o produtor queria saber quais eram os melhores materiais para a sua área. Para responder essa dúvida, ele contou com o apoio da agricultura digital, que registrou qual variedade foi plantada em cada faixa.

Posteriormente, usou as ferramentas digitais para acompanhar o desenvolvimento vegetativo de cada material na área e, após a colheita, registrou o resultado de produtividade em cada faixa, separadamente.

 

Ensaio com 64 híbridos permitiu identificar os que têm melhor desempenho na área

 

  • “Split Planting”: consiste na utilização de dois materiais na plantadeira (metade de um lado da máquina e a outra metade do outro lado), o que permite que os dois sejam distribuídos no mesmo lote.

    • O objetivo é submeter os materiais às mesmas condições, como manchas de compactação, umidade e fertilidade, o que permite comparar o comportamento de cada um deles de forma mais eficaz.
    • Nesse caso, é importante escolher materiais que tenham ciclo de maturação semelhante para não dificultar a colheita. 

 

Teste de plantio utilizando a funcionalidade Split Planting

 

  • Lado-a-lado: também é possível fazer uma experiência mais simples - plantar um material já conhecido na maior parte do talhão e experimentar um novo na área ao lado.

Seja qual for o método escolhido, é imprescindível fazer uma análise adequada dos resultados obtidos. Com a agricultura digital você pode comparar facilmente os dados das duas áreas testadas usando a funcionalidade Lado-a-Lado.

 

2) Teste de densidades de semeadura

No plantio, o produtor tem condições de testar diferentes densidades, com o foco no aumento da produtividade e a otimização do investimento. 

Usando a agricultura digital, é possível utilizar uma funcionalidade chamada Prescrição Manual de Sementes, que analisa imagens de satélite ou mapas de safras anteriores, para determinar os ambientes com maior e menor produtividade.

A partir do processamento desses dados, a ferramenta digital ajusta a densidade de plantio para cada ambiente. 

 

+ SAIBA MAIS: Como funcionam as Prescrições em taxa variável do FieldView™️?

 

Porém, o tipo de teste de densidade depende muito da plantadeira utilizada. Caso se possa contar com máquina de dosagem variável, é possível inserir a prescrição no monitor de plantio e modificar a densidade ao longo do talhão (Plantio em Taxa Variável).

Caso contrário, podem ser feitas várias faixas com diferentes populações e, assim, aproveitar a tecnologia agrícola para potencializar a análise. 

É que, na colheita, os resultados da produção podem ser avaliados, permitindo verificar se existem diferenças de produtividade entre as faixas plantadas. 

Parâmetro importante para se definir se vale a pena um maior ou menor investimento nas diferentes sementes testadas naquele ensaio. Assim, pode tomar decisões mais eficientes no futuro.

 

As funcionalidade de Prescrições Manuais permitiu plantar diferentes densidades de sementes no talhão

 

3) Teste de velocidade

A velocidade de plantio é uma questão fundamental na eficiência do trabalho, que também pode ser otimizada com o uso de ferramentas de tecnologia agrícola. 

Velocidades muito baixas atrasam a operação, aumentam os custos e podem fazer ultrapassar a janela de plantio ideal para uma determinada cultura. Por outro lado, as velocidades altas afetam a distribuição correta das sementes. 

Ao utilizar-se a agricultura digital, é possível fazer testes de velocidade de plantio. Você simplesmente tem que fazer algumas passadas na velocidade mínima recomendada e aumentá-la na seguinte. 

Em seguida, pode verificar a população de sementes para determinar qual a velocidade máxima com a qual a plantadeira pode ser operada sem afetar a plantabilidade, o que vai variar de acordo com a máquina, tipo de solo, cobertura, condições de umidade etc. 

Para facilitar essa avaliação, você pode utilizar o dispositivo FieldViewTM Drive para gerar dados de velocidade de plantio e de população durante a operação. Com eles em mãos, basta correlacioná-los posteriormente para tirar as melhores conclusões.

 

Nesse mapa, é possível comparar Lado-a-Lado o impacto da velocidade adotada durante o plantio sobre a população de sementes semeada na área

 

  • Teste de velocidade para a cultura da soja 

Em um teste de plantio com o apoio do FieldViewTM Drive, a máquina começou a operar o plantio a 5 km/he e foi aumentando gradativamente (o aumento é visto da esquerda para a direita). A tarefa pôde ser acompanhada em tempo real no mapa de plantio. 

Mais tarde, na colheita, o resultado pôde ser dimensionado. Como mostrado na imagem de satélite à direita, nos mapas abaixo, pôde-se comprovar que o aumento de velocidade não incidiu sobre a produtividade. 

 

Mapas permitem comparar o impacto da velocidade adotada durante o plantio sobre a produtividade da área

 

Nesse caso, identificou-se que era possível semear a 7,5 km/h em vez de 5 km/h, economizando tempo e eficiência, o que foi demonstrado no fato de a tarefa poder ser concluída três dias antes do planejado.

 

+ ASSISTA AO EP. 1 DA SÉRIE HISTÓRIAS DE SUCESSO: Laboratório a céu aberto com Climate FieldView™

 

 

Nova call to action

 

4) Teste de tratamentos de sementes 

O tratamento de sementes visa proteger o potencial genético das mesmas contra pragas e doenças, além de contribuir para maior uniformidade na germinação. 

Por isso, testar diferentes produtos para esses tratamentos pode contribuir para identificar qual possui a melhor relação custo-benefício em determinada área, beneficiando a rentabilidade do produtor.

Para a realização dessa análise, os diferentes produtos devem ser testados no mesmo material, plantando cada parte do talhão com um tratamento diferente.

Ao final da safra, o produtor pode analisar o Relatório de Colheita de FieldViewTM para avaliar qual foi o tratamento de melhor performance na área, de acordo com os rendimentos obtidos em cada caso. 

 

Com a agricultura digital, o produtor pode identificar qual  tratamento de sementes tem melhor performance na área

 

5) Agricultura digital para testar a janela de plantio

A janela ótima de plantio de uma cultura varia de acordo com a região e o ciclo do material utilizado. Definir a data ideal para cada um é importante, devido à incidência na produtividade e para o planejamento da colheita.

Um teste possível - e que costuma ocorrer de forma natural, porém com menos profissionalismo - é semear um mesmo material em dias diferentes

Em seguida, o impacto dessa prática é avaliado com base no Relatório de Colheita, que traz os resultados de cada dia. É importante que o mesmo controle agronômico seja feito em todos os casos, para que os resultados sejam comparáveis. 

 

Ao correlacionar o Mapa de População com o Mapa de Data de Plantio, o produtor tem condições de identificar a melhor janela para estabelecer a lavoura no talhão

 

Transformar o campo em um laboratório a céu aberto com o apoio da agricultura digital

Otimizar o controle e maximizar a rentabilidade são pontos fundamentais para o sucesso. Mas para atingir esses objetivos, o produtor precisa buscar dados precisos sobre a lavoura, que possam apoiá-lo a tomar as melhores decisões.

A realização de testes durante diferentes fases da safra pode fazer muita diferença para o produtor na condução de sua lavoura, especialmente para os ciclos seguintes. 

Ele pode se tornar um verdadeiro pesquisador em sua própria fazenda fazendo testes, colhendo resultados e identificando quais as melhores opções em cada cultura e em cada talhão. 

 

Com o apoio da agricultura digital na realização de testes, o produtor pode se tornar um “pesquisador” na sua própria fazenda

 

Mas essa possibilidade tem sido cada vez mais possível por conta das ferramentas cada vez mais modernas disponibilizadas pela agricultura digital, que ajuda realizar diferentes ensaios e estudos de forma simples e prática, além de verificar a real eficácia de cada prática realizada no campo. 

Por isso, não é exagero afirmar: com plataformas digitais como FieldViewTM, o campo pode ser transformado em um laboratório a céu aberto, permitindo ao agricultor atingir a máxima eficiência de produção.

 

+ CONFIRA TAMBÉM: Agricultura digital eleva um plantio de soja com qualidade

 

Quer ficar por dentro do que a agricultura digital pode fazer por você?

Nova call to action

Compartilhar:
 
Curtiu nosso conteúdo?